Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

Aprender a contar

nome:
Mariana dos Santos Pacheco (Mariana Bicho)
ano nascimento:
1938
freguesia: Salvada
concelho:
Beja                                           
distrito:
Beja
data de recolha: Outubro 2010
 
 

Dados de inventário
  • Aprender a contar
  • Beja

    “Aprender a contar”- A informante não frequentou a escola por viver longe da mesma, mas conseguiu sozinha aprender os números e a fazer contas sem qualquer ensinamento.

    Mariana Bicho; Salvada; Ano de nascimento: 1938; Concelho de Beja.

    Registo 2010.

Transcrição
  • Aprender a contar

     

    Nesse tempo. Nesse tempo aprendia-se a fazer tudo.

     

    Eu na’(1) sei fazer o me’(2) nome! Mas vou-lhe contar aqui uma história. Aprendi a fazer toda a roupa da minha família, da minha casa: eu fazia. E o me’ pai queria as bainhas daqui das calças, esta largura, vinte centímetros. E eu tinha uma fita, ‘tá(3) a ouvindo? [Risos]. Tinha uma fita, custou-me vinte e cinco tostões(4). Vinte e cinco tostões! Uma fita métrica com, pronto, metro e meio. E eu sei ler os números em todo o lado, que as pessoas admiram-me: “mas como é que ela na’ sabe ler e sabe ler que as coisas custam?!” Eu sei ler os números, sei tudo: sei balanças, sei tudo.

     

    Aprendi os números por a fita métrica! As pessoas: ? “mas como é que ela aprendeu? ? Se eu não nunca ia à escola – “como é que ela aprendeu os números?” ? Ah! E contar? Pode haver quem me ganhe, mas em contar eu fazia a conta da regra de três (…) que três dá certo, nove dá certo, quinze dá certo, vinte e tal dá certo. Ah! Sempre resto zero! [Risos]. Esta conta sem ninguém me ensinar. Ninguém me ensinou! Mas eu fazia assim. O meu irmão fazia os proble[mas] (…) da escola! Os ditados!

     

    – “Mariana, escuta lá…

    – Atão?

    – Tantas laranjas a dividir por tanta…

    – Olha, dá tantas a cada uma!

     

     

    [Risos]. Diga lá, isto nasce com a gente. Ê’(5) sou assim. E tinha um irmão, já há vinte e dois anos que morreu, que dizia assim: “? Aquela minha irmã Mariana, na’ há palavras! Se ela tivesse ido à escola, ela tinha uma cabeça, dava uma professora de Matemática, que na’ havia palavras!” – Atão, mas nunca fui à escola! Porquê? Tinha um porquê. Tudo tem um porquê na nossa vida. O me’ pai era moleiro, eu fui criada no rio Guadiana, ora, uma moça sozinha na’ podia vir à escola. Do rio Guadiana. Ficávamos muito longe das povoações e eu na’ podia vir à escola. Nunca aprendi a ler.

    Mariana Bicho, Beja, Outubro de 2010

    Glossário:

    (1) Na' ? não (houve supressão da acentuação e do o para reproduzir a pronúncia).

    (2) Me’ – meu (houve supressão do u para reprodução de pronúncia, uso coloquial).

    (3) 'Tá ? está (pronúncia popular do verbo “estar”, uso informal).

    (4) Tostões ? plural de tostão antiga moeda portuguesa (equivalente a 100 réis ou de 10 centavos).

    (5) Ê' – eu (houve acentuação do e e supressão do u para manter a pronúncia)

    Referências bibliográficas e recursos online utilizados no glossário:

    http://aulete.uol.com.br; http://www.ciberduvidas.com; http://www.infopedia.pt; http://www.priberam.pt

     

     

     

Caracterização
  • História de vida (caso)

Identificação
  • Aprender a contar
  • Mariana Bicho
  • 1938
Contexto de produção
Contexto territorial
  • Junta de Freguesia da Salvada através da Biblioteca Municipal de Beja (contacto Cristina Taquelim).
Contexto temporal
  • Actualmente sem periodicidade certa. Encontros informais e iniciativas do Município de Beja.
Manifestações associadas
  • Transmitidas aos serões, em quotidianos de trabalho e lazer.
Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Contadores de histórias que participam em iniciativas do Município de Beja. São convidados na iniciativa Palavras Andarilhas. Vão a escolas, lares e bibliotecas.

Equipa responsável
  • Filomena Sousa
  • José Barbieri
  • Maria de Lurdes Sousa
Arquivo
  • 11/19:03 - 22:14
  • 1/Beja2011/Beja2

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA