Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

São horas de me despedir

 
nome:

Eusébio Pereira

ano nascimento:

23/11/1915

freguesia: Grândola
concelho:
Grândola
distrito:
Setúbal
data de recolha:
Fevereiro 2007
 

Dados de inventário
  • São horas de me despedir
  • Poetas Populares de Grândola - Vídeo Poesia Popular.

    “São horas de me despedir”- Despedida gradual da vida de acordo com a passagem do tempo.

    Eusébio Pereira; Ano de nascimento: 1915; Concelho de Grândola.

    Registo 2007.

Transcrição
  • São horas de me despedir

     

     

    «São horas de me despedir.

    Estou a morrer esquecido.

    E não vale a pena ateimar(1)

    que o tempo é todo perdido!

     

    Os amigos ‘tão(2) como eu.

    Com eles não posso contar.

    É triste, mas é vulgar

    falar do que aconteceu.

    O que passou, esqueceu.

    Não se torna a repetir.

    E não vale a pena fingir

    com palavras ou sinais.

    Por estas e outras mais,

    são horas pra me despedir.

     

    Se estou calado, aborreço-me.

    Começo a falar, chateio-me.

    E há momentos que receio

    falar daquilo que eu conheço.

    Já em nada me pareço

    com aquilo que eu tenho sido.

    Há sempre um mal entendido

    quando eu começo falando

    e tenho que me ir preparando

    que estou a morrer esquecido.

     

    Os anos são os culpados

    do que se passa comigo.

    Já ninguém ouve o que eu digo

    são anos mal empregados.

    *Por mal dos me’s pecados*(3)

    deixam pouco a desejar

    e tudo começa a faltar

    quando o tempo passando.

    E seja a rir, seja chorando

    não vale a pena ateimar.

     

    São anos pa’(4) esquecer

    e  aceitar a verdade,

    que os defeitos da idade

    não se podem esconder.

    Muito fica pra dizer

    por quem se entrega vencido.

    E por aquilo que tenho ouvido

    sei o que pensam de mim.

    Mas pra(5) quem se despede assim

    o tempo é todo perdido.»

     

    Eusébio Pereira, Grândola, Fevereiro de 2007

    Glossário:

    (1) Ateimar – similar a teimar.

    (2) ‘Tão – abreviatura de “estão”.

    (3) Por mal dos me’s pecados – por infelicidade minha.

    (4) Pa’ – abreviatura de “para”.

    (5) Pra – abreviatura de “para”.

Caracterização
  • Décimas

    Quadra (mote) seguida de uma glosa em 4 décimas (em redondilha maior).

    Classificação: Paulo Correia (CEAO/ Universidade do Algarve) em Julho de 2007.

Identificação
  • São horas de me despedir
  • Eusébio Pereira
  • 1915
Contexto de produção
  • Comunidade - Poetas Populares de Grândola
Contexto territorial
  • Biblioteca Municipal de Grândola (contacto Cristina Bizarro).
Contexto temporal
  • Actualmente sem periodicidade certa. Encontros informais e iniciativas do Município de Grândola.
Manifestações associadas
  • A poesia alentejana de Grândola era dita em festas, feiras, locais de entretenimento e principalmente em tabernas.
Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Poetas populares em iniciativas esporádicas do Município de Grândola. Em Grândola, vários poetas populares participam na iniciativa Rota das Tabernas realizada em Junho (16ª edição em 2010).

    Existem vários Encontros de Poetas Populares, nomeadamente em concelhos do Alentejo e do Algarve.

Equipa responsável
  • José Barbieri
  • José Barbieri
  • Maria de Lurdes Sousa
Arquivo
  • 4/09:46 - 11:18
  • 1/grandola2011/Grandola 4

 

 

 

DESCARREGAR O LIVRO

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA