Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

O cão, a vaca e o burro

nome:
Francisco Galamba
ano nascimento:
1922
freguesia: Vila Verde de Ficalho
concelho:
Serpa                                          
distrito:
Beja
data de recolha: 2006
 
 

Dados de inventário
  • O cão, a vaca e o burro
  • Serpa

    “O cão, a vaca e o burro”- Um cão e uma vaca pensam em emigrar, mas um burro acha que está no país certo.

    Francisco Galamba; Vila Verde de Ficalho; Ano de nascimento: 1922; Concelho de Serpa.

    Registo 2006.

Transcrição
  • O cão, a vaca e o burro

     

     

    Este é já muito velho! É quando os animais falavam.

    Foi obrigado a tirar uma licença para os cães. Antigamente na’ havia! Tinham que ter licença e tinham que andar açaimados e a’pois mais tarde veio, daí a poucachinho tempo, pra andarem também *com um pau à rojo*(1).

    Vê que os animais ainda falavam nesse tempo. E juntou-se o cão e uma vaca e um burro. Juntaram-se os três e começaram a conversar. Disse o cão assim:

    Tenho que me ir embora! Tenho que me ir embora aqui de Portugal, que eu aqui não me posso governar! Vou-me embora para outro país qualquer, mas tenho que me ir embora daqui.

    Disse-lhe a vaca:

    Então e vais-te embora porquê?

    Cão – Vou-me embora porque para andar em Portugal preciso de uma licença. Tenho que andar açaimado e com um pau à rojo (atado ao pescoço com uma corda). Então vou-me embora de Portugal.

     

    E disse a vaca pra ele:

    Pois eu também vou contigo! Vamos os dois.

     

    Disse-lhe o cão:

    Então e tu vais porquê?

     

    Vaca – Porque aqui em Portugal ‘tá tudo fino na mão e eu não posso dar mama a tanta gente! E então vou-me embora também.

    E disse o burro assim:

    Pois eu não me vou embora!

     

    E disseram os outros:

    Então e tu não te vens embora porquê?

    Burro – Porque tenho visto outros muito mais burros do que eu serem advogados e eu ainda espero ser alguma coisa!

    E eu ‘tou desconfiado que já falta pouco para porem algum burro lá no governo! Este também ‘tava bom!»

     

    Francisco Galamba; 84 anos, Ficalho, (conc. Serpa), Fevereiro 2006.

     

    Glossário:

    (1) Com um pau: = trambolho (?) – pau que se colocava no pescoço dos cães para que não corressem em exagero atrás das ovelhas.

    (2) Fino na mão: não quer trabalhar.

    Para execução deste glossário consultou-se o website: http://www.priberam.pt.

     

     

     

     

     

Caracterização
  • Anedota.

    Classificação: Paulo Correia (CEAO/ Universidade do Algarve) em Junho de 2007

Identificação
  • O cão, a vaca e o burro
  • Francisco Galamba
  • 1922
Contexto de produção
Contexto territorial
  • Biblioteca Municipal de Beja (contacto Cristina Taquelim).
Contexto temporal
  • Hoje sem periodicidade certa. Encontros informais e iniciativas do Município de Serpa e de escolas
Manifestações associadas
  • Transmitidas aos serões, em quotidianos de trabalho e lazer.
Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Contadores de histórias participam em iniciativas do Município de Serpa e de Beja. São convidados para participar na inicativa Palavras Andarilhas. Vão a escolas, lares e bibliotecas.

    Em 2010/2011 o Agrupamento de Escolas de Serpa como o projecto "Contos d'Aqui" entrevistou e levou à escola a Susete Vargas de Vale do Poço e a Francisca Calvilho de Vila Verde de Ficalho, mais duas contadoras de histórias do concelho de Serpa (ver o blog em "Documentação")

Equipa responsável
  • Cristina Taquelim
  • José Barbieri
  • Maria de Lurdes Sousa
Arquivo
  • 7/35:15 - 42:10
  • 1/Serpa2011/Serpa3

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA