Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

Dados de inventário
  • O rapazote e a rapariga
  • Mora

    "O rapazote e a rapariga" -  anedota sobre a descoberta do corpo feminino.

    José Manuel ; Brotas; Concelho de Mora, Évora

    Registo 2007.

Transcrição
  • O rapaz e a rapariga

     

    Havia uma ocasião um gajo, um rapazote, começou a namorar uma rapariga. E, atão, foi namorando, foi namorando, foi namorando. Até que um belo dia, assim no tempo do verão, já no calor – ele tinha praí dezoito ou dezanove anos e ela também –, ela começa-lhe a dizer assim:

    Rapariga – Ah! Ó fulano! Vamos dar um passeio até ao campo. – 'Tava muita calor.

    E abalaram passeando. Chegaram lá a uma sombra (estava muita calor) e deita ela assim:

    – Vamos a descansar aqui um bocadinho. Aqui à sombra.

    Rapaz – Atão vá.

    Descansaram ali. Assentaram-se. E ela ia muito cheia de calor...Começou a despir a copa aqui do cinto por cima. E, atão, ela foi despindo a copa apareceram-lhe... As maminhas! Diz ele assim:

    – Eh! Atão que isso que tu aí tens?

    Rapariga – Ah! São as 'nhas rosinhas.

    Rapaz – Ah, são?!

    Rapariga – São.

    Rapaz – Atão, eu posso-as cheirar?

    Rapariga – Podes.

    Ele cheirou.

    Rapaz – Eh! Cheiram tão bem!

    Bom, ela 'tava muito cheia de calor começou-se a despir mais pra baixo. Apareceu-lhe o umbigo. E diz ele assim:

    – Atão, isso aí é o quê?

    Rapariga – Ah, isto é o me' cravinho!

    Rapaz – Atão, posso-o cheirar?

    Rapariga – Podes.

    Rapaz – Eh! Cheira tão bem!

    Bom, ela 'tava muito cheia de calor e despiu-se mais pra baixo. Apareceu-lhe aquela *rata preta*! E diz ele assim:

    – Ah! Atão que é isso?!

    Rapariga – Isto é a 'nha ratinha!

    E diz ele assim:

    – Atão, posso-a cheirar?

    Rapariga – Podes.

    Ele cheirou.

    Rapaz – Hum... A que tempo é que ela morreu?

    José Manuel, 87 anos, Brotas, (conc. Mora), Junho 2007.

     

Caracterização
    • Anedota misógena (existe também com um padre e sua confessada).

     

    • Classificação: Paulo Correia (CEAO/ Universidade do Algarve) em Junho de 2007.
Identificação
  • O rapazote e a rapariga
  • José Manuel
  • 1920
Contexto de produção
Contexto territorial
  • Mora, Casa da Cultura de Mora
Contexto temporal
  • Hoje sem periodicidade certa. Encontros informais e iniciativas do Município de Mora e escolas
Manifestações associadas
  • Transmitidas aos serões, em quotidianos de trabalho e lazer.
Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Contadores de histórias participam em iniciativas do Município de Mora. São convidados para participar na inicativa Palavras Andarilhas. Vão a escolas, lares e bibliotecas. Participam em iniciativas do Fluviário de Mora e da Casa da Cultura. Destacam-se as seguintes actividades desenvolvidas desde 1999:

    - Encontro de Contadores e Histórias - 1999 a 2005

    - Ti Tóda - Conta-me eum conto, estafeta de contos - 2001 a 2004

    - As lendas vão à escola - 2005

    - O Talego Culto - 2007

    - O Talego ambiental - 2007 a 2008

    - Comunidade do Canto do Lume

Equipa responsável
  • José Barbieri
  • José Barbieri
  • Maria de Lurdes Sousa

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA