Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

Dados de inventário
  • Amiga, vou-te dizer
  • Poetas Populares de Grândola - Vídeo Poesia Popular.

    “Amiga, vou-te dizer”- Relembrando um amor antigo que acabou mal.

    Luís Ricardo; Ano de nascimento: 1923; Concelho de Grândola.

    Registo 2007.

Transcrição
  • Amiga, vou-te dizer

     

    Amiga, vou-te dizer

    isto é me’mo(1) realidade.

    Custa muito uma ausência

    para quem ama na verdade.

     

    Quem tem o pensar medido

    e que ama mesmo de coração,

    pois sofre grande paixão

    quando vê o futuro perdido.

    Eu sei que tenho sofrido.

    E mais do que isto na’(2) pode ser.

    Também devo saber que como eu sofri,

    tu já sofreste

    e porque é que na’ me escreveste?

    Amiga, eu vou-te dizer.

     

    Partiste em mim a pensar.

    É verdade, acredita,

    eu quando li a tua escrita

    deu-me vontade de chorar.

    Tu dizeres que na’ tinhas lar

    para estares à tua vontade.

    E a ver-te nessa dificuldade

    ser muito bem dorida

    custa-me os dias da vida.

    Isto é mesmo realidade.

     

    Ando triste e aborrecido

    por de ti não saber nada.

    Eras em mim tão elevada

    e agora dás-me por esquecido.

    Sou da sorte desproduzido(3)

    e sem mãe era criança.

    Agora tiraste-me a tua presença

    que alegrava o meu rosto.

    Para quem ama e faz gosto

    custa muito uma ausência.

     

    Quem se ponha bem a pensar

    e que tenha consideração

    um desprezo sem razão

    é muito mau de suportar.

    E quem ama, por gostar,

    ‘tá(4) sempre cheio de saudade.

    E se aparece uma falsidade

    aonde(5) motivo não existe,

    é uma acção muito triste

    para quem ama na verdade.

     

    Luís Ricardo, Grândola, Fevereiro de 2007

    Glossário:

    (1) Me’mo – mesmo.

    (2) Na’ – não.

    (3) Desproduzido – desprovido.

    (4) ‘Tá – abreviatura oral de “está”.

    (5) Aonde – onde, em que.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

Caracterização
  • Décimas.

    Classificação: Proposta por Paulo Correia (CEAO/ Universidade do Algarve) em Julho de 2007.

Identificação
  • Amiga, vou-te dizer
  • Luís Ricardo
  • 1923
Contexto de produção
  • Comunidade - Poetas Populares de Grândola
Contexto territorial
  • Biblioteca Municipal de Grândola (contacto Cristina Bizarro).
Contexto temporal
  • Actualmente sem periodicidade certa. Encontros informais e iniciativas do Município de Grândola.
Manifestações associadas
  • A poesia alentejana de Grândola era dita em festas, feiras, locais de entretenimento e principalmente em tabernas.
Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Poetas populares em iniciativas esporádicas do Município de Grândola. Em Grândola, vários poetas populares participam na iniciativa Rota das Tabernas (16ª edição em 2010) realizada em Junho.

    Existem vários Encontros de Poetas Populares, nomeadamente em concelhos do Alentejo e do Algarve.

Equipa responsável
  • José Barbieri
  • José Barbieri
  • Maria de Lurdes Sousa

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA