Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

Dados de inventário
  • O fraco não é valente
  • Poetas Populares de Grândola - Vídeo Poesia Popular.

    “O fraco não é valente”- Criação poética que estabelece contrários entre elementos da mesma classe (de qualidades de personalidade, de fauna, flora, instrumentos de trabalho, etc.).

    Manuel Augusto Francisco (Rusga); Ano de nascimento: 1948; Concelho de Grândola.

    Registo 2007.

Transcrição
  • O fraco não é valente

     

    «O fraco não é valente.

    E o valente não é fraco.

    A marreta(1) não é martelo(2).

    E o urso não é macaco.

     

    O curto não é comprido.

    O largo não é estreito.

    O marreco(3) não é direito.

    E o caduco(4) não é cardido(5).

    A saia não é vestido.

    Lagarto não é serpente.

    Pa’(6) trás, não é pa’ frente.

    Pa’ frente na’(7) é pa’ trás.

    Rapariga não é rapaz.

    E o fraco não é valente.

     

    O homem não é mulher.

    O padrinho não é madrinha.

    O vizinho não é vizinha.

    E o garfo não é colher.

    O cravo não é malmequer.

    A mochila na’ é saco.

    A jaqueta não é casaco.

    O feio não é bonito.

    A malha(8) não é palito(9).

    E o valente na’ é fraco.

     

    A porta não é janela.

    O ferrolho não é postigo.

    A cevada não é trigo,

    e o silo(10) não é cheio dela.

    O tacho não é panela.

    Gamboa(11) na’ é marmelo.

    Dobrado na’ é singelo(12)

    O verde na’ é vermelho.

    A moldura na’ é espelho.

    E a marreta não é martelo.

     

    Leoa não é leão.

    Enguia na’ é moreia.

    Tubarão não é baleia.

    E cadela não é cão.

    O Inverno não é Verão.

    Mortalha(13) na’ é tabaco.

    A nota não é pataco(14).

    A sorte na’ é azar,

    O vender não é comprar.

    E o urso não é macaco».

     

    Manuel Augusto Francisco (Rusga), Grândola, Fevereiro de 2007

     

    Glossário:

     

    (1) Marreta: pesado martelo de ferro, de cabeças quadradas e de cabo longo usado em demolições, por exemplo.

    (2) Martelo: ferramenta com cabeça de ferro, encaixada num cabo de madeira, própria para bater, quebrar, cravar pregos, esmagar, golpear, etc.

    (3) Marreco: curvo.

    (4) Caduco: que cai por si, por processo próprio.

    (5) Cardido: que cai por influência de elementos exteriores.

    (6) Pa’: abreviatura oral de “para”.

    (7) Na’: abreviatura oral de “não”.

    (8) Malha: tecido derivado de laçadas de fio têxtil; a abertura que essas mesmas laçadas deixam entre si.

    (9) Palito: pequeno instrumento de madeira, estreito e pontiagudo.

    (10) Silo: reservatório para armazenagem de cereais.

    (11) Gamboa: fruto do gamboeiro (variedade de marmeleiro que dá frutos grandes), também conhecido como marmelo-molar.

    (12) Singelo: não dobrado nem composto.

    (13) Mortalha: pequena tira de papel que embrulha o tabaco do cigarro.

    (14) Pataco: antiga moeda portuguesa, de bronze, que valia dois vinténs ou quatro centavos.

    Para a execução deste glossário consultaram-se os seguintes websites:http://aulete.uol.com;

    http://www.infopedia.pt; http://www.infopedia.pt;http://www.priberam.pt

     

     

     

     

     

     

     

Caracterização
  • Décimas.

    Quadra (mote) seguida de uma glosa em 4 décimas (em redondilha maior).

    Classificação: Proposta por Paulo Correia (CEAO/ Universidade do Algarve) em Julho de 2007.

Identificação
  • O fraco não é valente
  • Manuel Augusto Francisco (Rusga)
  • 1948
Contexto de produção
  • Comunidade - Poetas Populares de Grândola
Contexto territorial
  • Biblioteca Municipal de Grândola (contacto Cristina Bizarro).
Contexto temporal
  • Actualmente sem periodicidade certa. Encontros informais e iniciativas do Município de Grândola.
Manifestações associadas
  • A poesia alentejana de Grândola era dita em festas, feiras, locais de entretenimento e principalmente em tabernas.
Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Poetas populares em iniciativas esporádicas do Município de Grândola. Em Grândola, vários poetas populares participam na iniciativa Rota das Tabernas (16ª edição em 2010) realizada em Junho.

    Existem vários Encontros de Poetas Populares, nomeadamente em concelhos do Alentejo e do Algarve.

Equipa responsável
  • José Barbieri
  • José Barbieri
  • Maria de Lurdes Sousa

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA