Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

Catálogo da Fábula

Site do projecto: memoriamedia.net/fabula

fabula - desenho de Salvador Carvalho

 

O Catálogo da Fábula na Literatura Portuguesa tem como seu objetivo principal identificar e indexar o corpus principal da fábula na literatura portuguesa desde a Idade Média até à época contemporânea. A catalogação da fábula cobre grande parte do corpus fabulístico nacional, recolhendo ocorrências das várias modalidades das suas manifestações: de texto integral - inserido em coleções, em antologias ou noutras obras - mas, também, de uso parcial e em contexto paratextual (prefácios, dedicatórias, titulação, caracterização das coleções, referências relativas a tradução e adaptação, e outras)

O Catálogo da Fábula na Literatura Portuguesa tem como seu campo de referência os principais repertórios gerais existentes, com especial relevo para Ben Edwin Perry, Babrius and Phaedrus, e Francisco Rodríguez Adrados, Historia de la Fábula Greco-Latina – Inventario y documentación. Para o estabelecimento do corpus da fábula na literatura portuguesa, outras fontes nacionais e internacionais servem de base de trabalho, partindo, num primeiro momento, do corpus nacional identificado por Luís da Câmara Cascudo e Vieira de Almeida no Grande Fabulário de Portugal e do Brasil e por Luciano Pereira em A Fábula em Portugal. Estas obras serviram de ponto de partida para a pesquisa e o levantamento de existências no âmbito da fábula.

Ana Paiva Morais - FCSH/UNL - Investigadora responsável

 

Catálogo da Fábula

Catálogo da Fábula
  • A raposa e as uvas
  • Francisco Rodrigues Lobo
  • Corte na aldeia
  • 1619
  •  

    Lisboa, Pedro Craesbeeck, 1619; 1630; Lisboa, Antonio Alvarez, 1649; Lisboa, Off. de Antonio Pedrozo Galraõ, 1695; Lisboa, Off. de Antonio Craesbeeck de Mello, 1670; Lisboa, Off. de Miguel Manescal da Costa, 1750; Lisboa, Comp. Nacional Ed., 1890; Lisboa, Sá da Costa, 1945 (pref. e notas de Afonso Lopes Vieira); Lisboa, s.e., 1961 (pref. e notas de Agostinho da Silva); Lisboa, s.e., 1961; Lisboa, Seara Nova 1937; 1966 (prefácio e notas de Agostinho da Silva); Porto, Lello & Irmão, 1972; Lisboa, Verbo, 1972; Lisboa, Círculo de Leitores, 1981; 1988; Lisboa, Ulisseia, 1990 (int. de Maria Ema Tarracha Ferreira); Lisboa, Presença, 1991; 1992 (int., notas e fixação do texto de José Adriano de Carvalho; Mem-Martins, Europa-América, 1997.

     

  • Lisboa, Presença, 1991
  • inexistente
  • 166 | - | -
  • raposa
  • Forma
    Prosa
  • Edições ilustradas
    não
  • «(...) posto que eu pudera dizer do ouro, (...)»

  • «(...) como a raposa de Esopo das uvas a que não chegava.»

  • Fábula (interpolada) por alusão.

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA