Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

Dados de inventário
  • Cantar dos Reis - Barbacena, Elvas
  • Cantar dos Reis – Barbacena, Elvas

    Na noite de 5 de Janeiro um coro com cerca de 25 homens de Barbacena, concelho de Elvas, trajados com capote alentejano e boina cumprem a tradição do Cantar dos Reis.

    O grupo desloca-se cantando de casa em casa na localidade de Barbacena. Os moradores oferecem como recompensa algum dinheiro, vinho e produtos alimentares.

    Segundo testemunhos de alguns dos mais velhos elementos do grupo e dos moradores de Barbacena esta tradição já existia, pelo menos, na época dos bisavôs. Nessa altura vários grupos (com seis a sete homens) cantavam na localidade e pelos montes, só começavam a cantar a partir da meia-noite.

    Em 2014 os cantares começaram ao meio-dia na Igreja à volta do presépio, depois no largo da Vila, no Lar de Barbacena, nos lares de Vila Fernando e terminam à noite num percurso pelas principais ruas de Barbacena.

    Registo:União das Freguesias Barbacena e Vila Fernando, concelho de Elvas 2013.

Caracterização
  • Canto polifónico executado em grupo e sem instrumentos (cante alentejano) na noite de 5 de Janeiro por cerca de 25 homens de Barbacena, concelho de Elvas, cumprindo a tradição do Cantar dos Reis.

    Vestidos com o tradicional capote alentejano e a boina, o grupo que canta de casa em casa é composto pelo Ponto, o Coro, o Falsete e o elemento que faz a Desgarrada (os elementos que fazem estas vozes vão rodando, não são sempre os mesmos).

    O grupo começa por se juntar à casa de um dos moradores, o Ponto bate à porta e pergunta:

    “Dá licença que cante os Santos Reis?”

    A porta mantêm-se fechada e esperam a resposta. Do lado de dentro da casa o dono aceita ou não que cantem. Usualmente a resposta é positiva, só é negativa caso algum familiar tenha falecido. Segundo o testemunho de Manuel Rolhas, um dos mais idosos elementos do grupo, há cerca de sessenta anos, como existiam vários grupos a cantar, algumas famílias recusavam o segundo ou terceiro grupo.

    Mantendo a porta fechada o morador aceita ouvir o cantar e o Ponto começa acompanhado depois pelo Coro. O Falsete prolonga a última sílaba do segundo verso e depois de todos os versos cantados o elemento da Desgarrada pede a esmola:

     

     Ler mais – ver texto completo no Documento PDF abaixo

  • As origens são desconhecidas, sabe-se que passou de pais para filhos e, segundo testemunhos de alguns dos mais idosos elementos do grupo e dos moradores de Barbacena, esta tradição já existia, pelo menos, na época dos bisavôs.

    Nessa altura vários grupos (com seis a sete homens) cantavam na localidade e pelos montes, só começavam a cantar a partir da meia-noite. Também vestiam o capote Alentejano e usavam a boina.

    Os elementos mais idosos recordam que quando começaram a cantar os reis, há mais de sessenta anos, as pessoas nunca davam dinheiro. Na altura matava-se o porco e oferecia-se os enchidos – chouriços, morcelas -, pão e queijo. Também recordam que chegou a existir um grupo feminino do Cantar dos Reis.

    O grupo atual tem cerca de 25 elementos e só se juntam para cantar no dia dos Reis (nunca ensaiam). No dia da Festa de S. Sebastião em Barbacena (no dia 20 de Janeiro, se calha a um domingo ou então o domingo mais próximo dessa data) juntam-se para confraternizar, numa adega no Largo do Pelourinho, largo onde se realiza a festa depois da Procissão de São Sebastião - o leilão de fogaças, a venda dos bolinhos de S. Sebastião e o baile com a Banda Filarmónica.

Identificação
  • Cantar dos Reis - Barbacena, Elvas
  • Grupo do Cantar dos Reis de Barbacena
  • Não se aplica
  • Não se aplica
Contexto de produção
  • Grupo do Cantar dos Reis de Barbacena
Contexto territorial
  • Elvas
Contexto temporal
  • Anual. 5 de Janeiro
Manifestações associadas
  • Procissão de S. Sebastião

    Leilão das fogaças

    Bolinhos de S. Sebastião

  • Capote Alentejano e Boina

  • Não se aplica

Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Grupo do Cantar dos Reis de Barbacena

     

Direitos Associados
  • Os direitos coletivos são de tipo consuetudinário - comunidade local.

    Grupo do Cantar dos Reis de Barbacena

  • Os direitos coletivos são de tipo consuetudinário - comunidade local.

    Grupo do Cantar dos Reis de Barbacena

Acções de Salvaguarda
  • Não foram identificados riscos e ameaças.

  • Quando os mais velhos saem são convidados os rapazes mais novos para os substituírem como elementos do grupo. Atualmente os elementos mais velhos têm entre setenta e oitenta anos. 

Equipa responsável
  • Filomena Sousa
  • José Barbieri
  • Filomena Sousa - Inventário
  • Realização José Barbieri, Produção Memória Imaterial e Câmara Municipal de Elvas - Isabel Pinto; Leonor Calado; Patrícia Machado, Romão Mimoso.
Arquivo
  • não se aplica
  • 4/Elvas/Barbacena

DESCARREGAR O LIVRO

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA