Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

Dados de inventário
  • Canção da Páscoa
  • Beja

    “Canção da Páscoa”- Dor de Nossa Senhora devido à morte de seu filho.

    Idalina Cocito; St. Clara de Louredo; Ano de nascimento: 1938; Concelho de Beja.

    Registo 2010.

Transcrição
  • Canção de Páscoa

     

     

    Levantou-se a Virgem Pura,

    cedo, cedo, de madrugada.

    - Ai que noite tã’(1) escura,

    ai que névoa tã’ çarrada(2)!

     

    Indo lá mais adiante,

    com Sã’(3) Simão se encontrava.

    - Na’(4) viste p’aí(5)passar, Simão,

    o filho desta minh’(6) alma?

     

    Ele aqui passou, Senhora,

    mas muito antes da era.

    Com  uma cruz de pau de (...)

    cada passo ajoelhava.

     

    Ele me pediu um lenço,

    pa’(7) limpar a sua chaga.

    Eu um lenço na’ le tinha

    Lá lhe dei uma toalha.

    Eu nove dobras dobrava(?),

    o seu sangue não ‘tancava(8).

     

    - E a’pois(9) a Nossa Senhora dizia:

     

    As filhas de Jerusalém

    à sua janela estava.

     

    - Já lá vem Nossa Senhora

    dando gritos doridos.

     

    - Já se foram o meus ais,

    já se foram meus alívios.

    Mulheres que tendem filhos

    ajudai-me a chorar,

    que essas que não têm

    não sentirão me’(10) mal.

     

    Quem esta oração rezar,

    sete vezes na Quaresma(11)

    e outras sete no Carnal(12),

    ganhará tantó(13) perdão,

    como Maria há no mar

    e flores há no campo.

    Idalina Cacito, Beja, Abril de 2010

     

    Glossário:

    (1) Tã’tão (de tal maneira, em tal grau).

    (2) Çarrada – cerrada (densa).

    (3) Sã’ São (abreviatura de Santo. Reprodução de pronúncia popular).

    (4) Na’ ? não (pronuncia popular, uso coloquial).

    (5) P’aí - para aí (uso informal, coloquial).

    (6) Minh’ minha.

    (7) Pa’ – para (em próclise, usadode modo informal e coloquial).

    (8) ‘Tancava – estancava (parar o fluxo de um liquido).

    (9) A’pois ? “depois” (modo informal e coloquial, reprodução da pronúncia).

    (10) Me’ – meu (redução para reprodução da pronúncia, uso informal e coloquial).

    (11) Quaresma – « Período de quarenta dias, compreendido entre quarta-feira de Cinzas e domingo de Páscoa, em que a Igreja Católica honra com jejuns, abstinência de carnes e outros sacrifícios a paixão e morte de Nosso Senhor Jesus Cristo; como domingo não é dia de jejum, contam-se seis semanas e quatro dias.» http://michaelis.uol.com.br/moderno/portugues/index.php?lingua=portugues-portugues&palavra=Páscoa

    (12) Carnal – «Tempo em que a Igreja permite que se coma carne, esp. o período da Páscoa em oposição à Quaresma.»http://aulete.uol.com.br/site.php?mdl=aulete_digital&op=loadVerbete&pesquisa=1&palavra=carnal

    (13) Tantó – tanto (advérbio, no caso fez-se reprodução da pronúncia).

     

    Referências bibliográficas e recursos online utilizados no glossário:

    Barros, Vítor Fernandes, (2006). Dicionário do Falar de Trás-os-Montes e Alto Douro. Lisboa: Edição Âncora Editora e Edições Colibri, p.254.

    Barros, Vítor Fernandes, (2010). Dicionário de Falares das Beiras. 1ª. Edição. Lisboa: Âncora Editora e Edições Colibri, p.243.

    Nunes, José Joaquim. (1902). Dialectos Algarvios (Lingoagem do várlavento) (Conclusão). (1902). Revista Lusitana: Arquivo de Estudos Filológicos e Etnológicos Relativos a Portugal, (1ª Série), Volume VII, Lisboa: Antiga Casa Bertrand.  pp. 250.

    Vasconcelos, José Leite de/Centro de Linguística da Universidade de Lisboa. Dicionário de Regionalismos e Arcaísmos (DRA). p.720.

    http://aulete.uol.com.br; http://aulete.uol.com.br; http://www.infopedia.pt; http://www.mirandadodouro.com/dicionario; http://www.priberam.pt; http://ciberduvidas.com

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

Caracterização
  • Romance Religioso, com fecho de Oração: Ciclo da Paixão, versão compósita: A Virgem a Caminho do Calvário, Verónica,…

     

    Classificação: Isabel Cardigos (CEAO/Universidade do Algarve) em Setembro de 2011

    Fonte da classificação: Informação pessoal de Maria Aliete Galhoz.

     

     

     

     

     

Identificação
  • Canção da Páscoa
  • Idalina Cocito
  • 1938
Contexto de produção
Contexto territorial
  • St. Clara de Louredo através da Biblioteca Municipal de Beja (contacto Cristina Taquelim).
Contexto temporal
  • Actualmente sem periodicidade certa. Encontros informais e iniciativas do Município de Beja.
Manifestações associadas
  • Transmitidas aos serões, em quotidianos de trabalho e lazer.
Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Contadores de histórias que participam em iniciativas do Município de Beja. São convidados na iniciativa Palavras Andarilhas. Vão a escolas, lares e bibliotecas.

Equipa responsável
  • Lénia Santos
  • José Barbieri
  • Maria de Lurdes Sousa

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA