Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

Dados de inventário
  • Sou fraco poeta
  • Poetas Populares de Grândola - Vídeo Poesia Popular.

    “Sou fraco poeta”- O poeta assume a imperfeição na sua arte e relaciona-a com o analfabetismo.

    Luís Ricardo; Ano de nascimento: 1923; Concelho de Grândola.

    Registo 2007.

Transcrição
  • Sou fraco poeta

     

    «Eu sou um reles(1) poeta.

    *Não tenho categoria*(2).

    Conheço-me por aquilo que sou,

    eu nunca *tive a mania*(3).

     

    Eu sei que não sou capaz

    de fazer nada perfeito.

    Alguma coisa que tenho feito

    é com *um pé à frente, outro atrás*(4).

    Ao pé da obra que o outro faz

    a minha não é correcta.

    Porque a pessoa analfabeta

    não coloca bem as razões

    e por não ter instruções(5)

    eu sou um reles poeta.

     

    Tenho muita coisa pra dizer

    umas bonitas e outras feias.

    E ‘tar(6) hoje aqui com vocês

    pra mim é um prazer.

    Porque me dão a ver

    que gostam da minha companhia.

    Se não gostassem, eu não seria

    prà’qui(7) convidado.

    Mas pra estar ao vosso lado

    eu na’(8) tenho categoria.

     

    Tenho muita obra feita,

    mas tudo tirado a palpite.

    Se é como alguns já têm dito

    pouco ou nada se aproveita.

    A minha obra não é perfeita

    e já houve quem publicou.

    E eu contente estou

    de ‘tar aqui na Sociedade.

    Eu sei que é verdade,

    eu conheço-me por aquilo que sou.

     

    Não é o saber muito!

    Dá o poeta a garantia.

    É saber fazer a poesia

    sempre no mesmo assunto.

    Mas eu como é que pergunto

    na palavra e filosofia

    pra conduzir dentro da via

    é preciso ter carta de chofer(9).

    E ser melhor que outro qualquer

    eu nunca tive a mania.»

     

    Luís Ricardo, Grândola, Fevereiro de 2007

    Glossário:

     

    (1) Reles – de má qualidade.

    (2) Não ter categoria – ter um grau negativo de excelência; ter baixo valor.

    (3) Tive a mania – similar a “ter a mania que é bom”, achar-se muito bom em algo ou melhor que os outros.

    (4) Um pé à frente, outro atrás – no caso, com reserva, insegurança.

    (5) Instruções – educação fornecida por estabelecimento de ensino.

    (6) ‘tar – abreviatura de “estar”.

    (7) Prà’quiabreviatura de “para aqui”.

    (8) Na’abreviatura de “não”.

    (9) Chofer=motorista; condutor de automóvel.

    Para a execução deste glossário consultaram-se os seguintes websites: http://www.infopedia.pt; http://aulete.uol.com.br; http://www.infopedia.pt

     

     

     

     

     

     

     

Caracterização
  • Décimas.

    Quadra (mote) seguida de uma glosa em 4 décimas (em redondilha maior).

    Classificação: Proposta por Paulo Correia (CEAO/ Universidade do Algarve) em Julho de 2007.

Identificação
  • Sou fraco poeta
  • Luís Ricardo
  • 1923
Contexto de produção
  • Comunidade - Poetas Populares de Grândola
Contexto territorial
  • Biblioteca Municipal de Grândola (contacto Cristina Bizarro).
Contexto temporal
  • Actualmente sem periodicidade certa. Encontros informais e iniciativas do Município de Grândola.
Manifestações associadas
  • A poesia alentejana de Grândola era dita em festas, feiras, locais de entretenimento e principalmente em tabernas.
Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Poetas populares em iniciativas esporádicas do Município de Grândola. Em Grândola, vários poetas populares participam na iniciativa Rota das Tabernas (16ª edição em 2010) realizada em Junho.

    Existem vários Encontros de Poetas Populares, nomeadamente em concelhos do Alentejo e do Algarve.

Equipa responsável
  • José Barbieri
  • José Barbieri
  • Maria de Lurdes Sousa

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA