Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

Dados de inventário
  • O genro bêbado
  • Beja

    “O genro bêbado”- Uma bebedeira leva um homem até à casa da sogra em vez da sua própria casa…

    Olívia Brissos; Beringel; Concelho de Beja.

    Registo 2006.

Transcrição
  • O genro bêbado

     

    Havia uma rapariga que começou a namorar um rapaz logo de mocinha. E o rapaz, muito bom rapaz, fez-se homem e afinal deu em meter-se em bebida. E aquilo já não era *nada de jeito*(1).

     

    Começou a mãe:

     

    Ó filha deixa-te disso! Tu não vês o resultado daquilo?! Na’ vês que o rapaz que *não dá meia para a esquerda*(2)?! É só beber, só beber!

     

    Filha – Ah! E diga lá, atão(3)… Mas eu até gosto tanto dele! E há tantos anos que eu namoro.

     

    Mãe – Mas é o mesmo! Havia de haver outro que tu gostasses…

     

    Bom, a mãe toda zangada com a filha. Bom, mas ela pensou que havia de namorá-lo, foi sempre namorando. Até que um dia, veio e disse ela:

     

    Olhe, o Zé quer casar já este ano.

     

    Mãe – Olha agora é que a gente fica bem! Ora um bêbado daqueles! E quer casar!

     

    Filha – Sim, senhora!

     

    Mãe – Nem casa hão-de ter! Comigo não ficam! – Isto era a mãe. – Comigo não ficam! Arranjem casa que comigo não ficam.

     

    Filha – Ora! Atão diga lá… Olhe a vizinha Alice – a mulher tinha ido pra fora, prò estrangeiro – aluga aqui a casa à gente.

     

    *Paredes meias*(4) com a mãe, mesmo ao pé da mãe. Disse ela:

     

    Olha *ainda mais essa*(5)! Ainda se fossem lá pra longe, ainda era comó outro(6)! Agora ficam-me aqui mesmo ao pé!

     

    Filha – Atão, diga lá… Ele quer ficar mesmo aqui... Ele arranjou aqui a casa. A vizinha Alice empresta-lhe a casa e fica aqui.

     

    Bom, trataram do casamento. Casaram e ficaram lá nesse sítio à mesma.

     

    O rapaz logo em princípio de casado portou-se bem nessa altura, mas depois começou na mesma: sempre bêbado, sempre bêbado…

     

    Uma noite, vem de lá, se havia de ir prà casa dele foi prà da sogra. Eram paredes meias. Deitou-se com ela e passou lá o resto da noite. Só se levantou quando eram horas de ir já prò trabalho. Levantou-se e ela – nem nada! Desejando vir a manhã pra dizer à filha o que ele andava fazendo.

     

    Bom, assim que ele abalou(7) ela veio cá a casa (viu que ele já tinha ido para o trabalho) e disse:

     

    – Atão! Tu sabes bem?! O desavergonhado do teu marido?! Atão foi pra lá, deitou-se comigo, abusou de mim e apois, de manhã, é que se veio embora!

     

    Filha – Atão e você na’ lhe disse nada?!

     

    Mãe – Eu não! Atão há dois anos que eu não falo com ele!

     

    Ele fez-lhe poucas-vergonhas (8) e tudo e ela na’ lhe disse nada porque não falava com ele!

     

    Olívia Brissos, Beringel (conc. Beja), Fevereiro de 2006.

     

    Glossário

     

    (1) Nada de jeito: refere-se no caso a pessoa sem valor da qual pouco se espera.

    (2) Não dá meia para a esquerda: não consegue; não evolui.

    (3) Atão: regionalismo de Portugal, de uso informal e coloquial que significa “então”.

    (4) Paredes meias: separado com uma parede;paredes comuns a edifícios contíguos.

    (5) Ainda mais essa! Expressão que designa uma notícia mal recebida ou considerada prejudicial.

    (6) Ainda era como o outro! Ainda era aceitável.

    (7) Abalou: foi-se embora.

    (8) Poucas-vergonhas: actos vergonhosos; imoralidades.

    Para execução deste glossário consultaram-se os websites e dicionários: http://www.priberam.pt/; http://www.infopedia.pt; http://www.ciberduvidas.com; http://acll.home.sapo.pt/portugues.html; Simões, de Guilherme Augusto. (2000). Dicionário de Expressões Populares Portuguesas.2ª. Edição, Dicionários D. Quixote; 34. Lisboa: Publicações D. Quixote, p. 44 e 457.

     

     

     

Caracterização
    • Narrativa não classificável (apresentação por géneros).
    • Caso/Anedota.

    Classificação: Paulo Correia (CEAO/ Universidade do Algarve) em Junho de 2007

Identificação
  • O genro bêbado
  • Olívia Brissos
Contexto de produção
Contexto territorial
  • Beringel através da Biblioteca Municipal de Beja (contacto Cristina Taquelim).
Contexto temporal
  • Actualmente sem periodicidade certa. Encontros informais e iniciativas do Município de Beja.
Manifestações associadas
  • Transmitidas aos serões, em quotidianos de trabalho e lazer.
Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Contadores de histórias que participam em iniciativas do Município de Beja. São convidados na iniciativa Palavras Andarilhas. Vão a escolas, lares e bibliotecas.

Equipa responsável
  • Cristina Taquelim
  • José Barbieri
  • Maria de Lurdes Sousa

 

Visite a nova exposição virtual!

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA