Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

Dois surdos

nome:
José António Esteves
ano nascimento:
1947
freguesia: Vimioso
concelho:
Vimioso
distrito:
Bragança
data de recolha: Outubro 2010
 
 
 

Dados de inventário
  • Dois surdos
  • Vimioso

    "Dois surdos" - Uma conversa entre dois surdos resulta num caso cómico.

    José António, 1947. Vimioso

    Registo 2010.

Transcrição
  • Os dois surdos

     

    (…) Um António aqui (…) que era surdo. E o outro também era surdo.

    Iam a passar (…) encontrou-o:

     

    - Ói! – Assim…- ‘Tás(1) bom?

     

    Diz-le(2) ele, andava então numa curtinha(3), tinha nogueiras, andava atão(4) a apanhar as nozes e lá:

     

    - Ói! – disse ele - ‘tás bom?!

     

    Diz: - Não! Não teno(5) nada! ‘Tão todas furadas. Umas poucas (…). - Pois, ele entendeu assim.

     

    Mas o outro, como não entendeu também a conversa, que também era surdo, continuou:

     

    - Então e as vossas filhas são muito (…).

     

    - Não, senhor! ‘Tão todas furadas! Não

     

    Pronto, aquilo passou. O outro (…) pa’(6) São Pedro. E ele ficou-se ali pensando que (…) que tinha falado bem um e outro.

     

    Passando um outro que andava ali perto, oubiu(7) a conbersa e levou-a pa’ taberna(8). Levou a conbersa pa’ taberna e depois é que soube que a conbersa deles, coitados, né(9)? O homem num(10) sabia nada, mas (…).

    José António Esteves, Vimioso, Outubro de 2010

     

    Glossário:

    (1) ‘Tás – ‘estás’ ( pronúncia popular do verbo “estar” conjugado).

    (2) -Le – ‘lhe’ (pronome, registo popular e modo informal).

    (3) Curtinha – cortinha, por hipótese, « s.f Terreno agrícola, maior do que quintal, murado, situado junto da habitação ou perto dela (Fornos-FEC).» Barros, Vítor Fernandes, (2006). Dicionário do Falar de Trás-os-Montes e Alto Douro. Lisboa: Edição Âncora Editora e Edições Colibri, p.125

    (4) Atão“então”, regionalismo de Portugal, de uso informal e coloquial que, no caso, denota espanto.

    (5) Teno – ‘tenho’ (em mirandês).

    (6) Pa’ – ‘para’ (usadode modo informal e coloquial).

    (7) Oubiu – ‘ouviu’ (trocar o “b” pelo “v” é um traço fonético comum nos dialectos do Norte do Portugal).

    (8) Tabernatasca, loja de comes e bebes e onde se vendia vinho a retalho.

    (9) Né? – não é? Contracção do advérbio ‘não’ e da forma verbal ‘é’ – “não é”?

    (10) Num - não (linguagem, uso coloquial).

     

    Referências bibliográficas e recursos online utilizados no glossário:

    Barreiros, Fernando Braga. (1916). Tradições populares de Barroso. Revista Lusitana, Volume XIX. Lisboa: Livraria Clássica Editora, p. 76

    Barreiros, Fernando Braga. (1937). Vocabulário Barrosão. Revista Lusitana Volume XXXV, Lisboa: Livraria Clássica Editora. P. 290

    Barros, Vítor Fernandes, (2006). Dicionário do Falar de Trás-os-Montes e Alto Douro. Lisboa: Edição Âncora Editora e Edições Colibri, p.254

    Barros, Vítor Fernandes, (2010). Dicionário de Falares das Beiras. 1ª. Edição. Lisboa: Âncora Editora e Edições Colibri, p.243

    Vasconcellos, José Leite de (1883-1895 ) «Dialecto transmontano», Opúsculos, vol. VI Dialectologia (Parte II), organizado por CINTRA, Maria Adelaide Valle, Lisboa: Imprensa Nacional/ Casa da Moeda, 1985, pp. 139

    VIANA, Aniceto dos Reis Gonçalves (1887-1889). Materiais para o estudo dos dialectos portugueses - Fallar de Rio Frio, typo bragançano dos dialectos transmontanos), Revista Lusitana, Volume I.

Caracterização
    • ATU1698 Os Surdos e suas Respostas Tontas.

     

    • Classificação por Paulo Correia, CEAO, 1 de Março de 2011.

     

Identificação
  • Dois surdos
  • José António
  • 1947
Contexto de produção
Contexto territorial
  • Vimioso, Lar de Santa Casa da Misericórdia de Vimioso.
Contexto temporal
  • Hoje sem periodicidade certa. Encontros informais e iniciativas do Município de Vimioso
Manifestações associadas
  • Transmitidas aos serões, em quotidianos de trabalho e lazer.
Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Residentes do concelho de Vimioso que são convidados para iniciativas do Município e Biblioteca de Vimioso. Principais actividades desenvolvidas que estas manifestações culturais:

    Sons e Ruralidades em Vimioso

    ANAMNESIS - Encontro de Cinema, som e tradição oral.

    Feira de artes, ofício e sabores

    (ver links em documentação)

Equipa responsável
  • José Barbieri e Filomena Sousa
  • José Barbieri
  • Maria de Lurdes Sousa
  • José Barbieri - realização do documentário (ver link em documentação)

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA