Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

Tristes Novas

nome:
Maria Clara
ano nascimento:
1928
freguesia: Idanha-a-Nova
concelho:
Idanha-a-Nova                                             
distrito:
Castelo Branco
data de recolha: Setembro 2010
 
 
 

Dados de inventário
  • Tristes Novas
  • Idanha-a-Nova

    "Tristes Novas" - Dom João está a morrer e sua mãe chama-lhe a atenção para que cumpra os seus deveres com Dona Isabel, que a não deve deixar nem desonrada (solteira), nem desamparada (monetariamente).

    «O assunto deste romance é um casamento à hora da morte, uma daquelas tardias mas solenes reparações que a religião, a honra, o amo tantas vezes têm arrancado à consciência do moribundo.» (Garrett, 1963, 21).  «Dona Isabel da xácara antecedente achou na mãe do seu amante todas as divinas compaixões de um coração feminino» (Garrett, 1963, 27).

    Maria Clara, Ano de nascimento 1928.

    Idanha-a-Nova

    Registo 2010.

Transcrição
  • Tristes novas

     

    «Tristes novas, tristes novas, me chegaram da Espanha.

    Está Dom João a morrer, nas Covas de Salamanha(1).

    Está Dom João a morrer, nas Covas de Salamanha.

    Eram médicos e cirurgiões, sem nenhum lhe dar a vida.

    Veio um médico mais velho, deu-lhe três horas de vida.

    Veio um médico mais velho, deu-lhe três horas de vida.

    Uma pra(2) se confessar, outra pra bem da su’ alma,

    outra pra se despedir, da Dona Isabel amada.

    Outra pra se despedir, da Dona Isabel amada.

    Sua mãe lhe procurou: - Deves honrar mulher honrada!

    - Devo à Dona Isabel, que me de mim anda ocupada.

    - Devo à Dona Isabel, que me de mim anda ocupada.

    - Deixo-lhe trinta bocados, prà(3) ajuda da desgraçada.

    - Deixa-lhe tu outros trinta, que a honra nunca é paga!

    - Deixa-lhe tu outros trinta, que a honra nunca é paga!

    Quando nesta razões ‘tavam, Dona ‘Sabel que chegava.

    - Donde vens, Dona Isabel? Minha roseira abonada(4)?

    - Venho de pedir à Virgem(5) que seja nossa advogada.

    - Essas tuas pedições(6) já te não valem de nada.

    - Tenho meu tempo cumprido, a minha vida acabada.

    - Tenho meu tempo cumprido, a minha vida acabada.

    - Duas coisas te vou pedir, à hora da minha morte,

    se for mulher seja freira(7), se for homem sacerdote(8),

    quando estiver a dizer missa, que se lembre da minha morte

     

    Maria Clara, Idanha-a-Nova, Setembro de 2010

     

Caracterização
Identificação
  • Tristes Novas
  • Maria Clara
  • 1928
Contexto de produção
Contexto territorial
  • Idanha-a-Nova, Biblioteca Municipal de Idanha-a-Nova
Contexto temporal
  • Hoje sem periodicidade certa. Encontros informais e iniciativas do Município de Idanha-a-Nova
Manifestações associadas
  • Transmitidas aos serões, em quotidianos de trabalho e lazer.
Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Residentes do concelho de Idanha-a-Nova em festas e romarias locais e em iniciativas do Município, Centro Cultural e Biblioteca de Idanha-a-Nova. Principais actividades desenvolvidas e que promovem estas manifestações culturais:

    Festas e Romarias

    Romaria da Nossa Senhora do Almortão

    Romaria de Nossa Senhora da Graça

    Festa do Divino Espírito Santo

    Os Mistérios da Páscoa

    Festa das Cruzes Monsanto

    Festa do Espírito Santo Ladoeiro

    Festa de Nossa Senhora da Conceição Penha Garcia

    Projectos

    Projecto Oralidades

    Festivais

    Festival de acordeonistas e tocadores de concertinas

     

    (Ver links em documentação)

Equipa responsável
  • José Barbieri e Filomena Sousa
  • José Barbieri
  • Filomena Sousa e glossário Maria de Lurdes Sousa
  • José Barbieri - realização do documentário (ver link em documentação)

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA