Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

Os sapatos

nome:
Maria da Restauração
   
freguesia:
Matacães
concelho:
Torres Vedras
distrito: Lisboa
data de recolha: 02/2010
   
 
 
 

Dados de inventário
  • Os sapatos
  • Torres Vedras

    "Os sapatos"- Relato de um episódio entre um casal por causa de um par de botas.

    Maria da Restauração, Ano de nascimento 1936, Matacães, Torres Vedras, Registo 2010.

Transcrição
  • Os sapatos

     

    Na minha terra andávamos descalças, não é? De maneira que aqui ninguém andava descalço, mas a gente lá andávamos descalças. E eu vim para cá e o meu marido mandou-me fazer uns sapatos desses como as botas dos homens, deste cabedal grosso, e mandou pôr cardas por baixo. Quer dizer, destas cardas como os homens usavam antigamente por baixo. A casa era cimento, aquilo era tuca, tuca, tuca, parecia os cavalos na estrada! Eu digo assim… Ele chegou à noite do trabalho e eu digo assim:

    - Estás a ouvir? Não calço mais os sapatos, porque eu esbarro na casa… -a casa era cimento por baixo. -Eu esbarro na casa.

    - Não esbarras nada. Isso é para não se desgastar.

    - Ai é? Então está bem.

    Ele no outro dia foi para o trabalho e eu vou com um alicate e tirei as cardas todas, deixei as botas todas cheias de buracos por baixo! Todas cheias de buracos porque, claro, dos furos da brocha. E ele depois, ele diz assim:

    - Então mas que é dos sapatos?

    - Os sapatos tirei-os, já estou com os chinelos.

    - Vai buscar os sapatos.

    - Para quê?

    - Vai buscar os sapatos.

    - Mas o que é que tu queres aos sapatos? Os sapatos, calço-os amanhã.

    Ele tanto disse para eu ir buscar os sapatos que eu fui buscar os sapatos. Eu ainda não conhecia bem… Aquilo ainda estava fresco… E eu digo assim:

    - Ah, mas eu… Deixa estar os sapatos.

    - Vai buscar os sapatos!

    Fui buscar os sapatos. Quando eu digo assim:

    - Porque olha, estão cheios de buracos. Eu já te disse que não quero os sapatos com brochas!

    - Ai não? Então olha, vou-te mandar pôr umas solas grossas.

    - Olha, se tu mandares pôr umas solas grossas que eu não seja capaz de andar com elas, faço-te o mesmo que fiz aqui aos pregos: arranco-as!

    Mas depois então as solas lá andaram. Mas era: escorregava e era um barulho, que eu andava na estrada, parecia que era os cavalos! Truca, truca, assim…

    - Então mas afinal eu ando para aqui… Venho para aqui, venho para aqui e venho de tão longe para aqui para andar aqui a fazer figura de parva, ou quê?

    Depois tirei-lhe as brochas e ele fartou-se de ralhar. E eu disse assim:

    - Mau, mau… Já estás a ralhar, estou-me a passar não tarda nada!

     

     

    Maria da Restauração, Torres Vedras, Registo 2010.

     

     

     

Caracterização
    • Episódio de história de vida
Identificação
  • Os sapatos
  • Maria da Restauração
  • 1936
Contexto de produção
Contexto territorial
  • Matacães
Contexto temporal
Manifestações associadas
Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Encontros em festas e actividades promovidas pelo Município e Junta de Freguesia

Equipa responsável
  • Filomena Sousa
  • José Barbieri
  • Ana Sofia Paiva
  • Documentário - Realização Filomena Sousa

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA