Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

A abantesma e o homem

nome:
Tia Desterra
ano nascimento:
 
freguesia: Póvoa de Varzim
concelho:
Póvoa de Varzim
distrito:
Porto
data de recolha: 2007
 
 

Dados de inventário
  • A abantesma e o homem
  • Póvoa de Varzim

    "A abantesma e o homem" - Relato de encontro de um homem com uma abantesma (fantasma).

    Ti Desterra, Póvoa de Varzim, Registo 2007

Transcrição
  • A abantesma[1] e o homem

     

    E então, o meu avô tinha aqui uma bonita história, não é? O meu avô veio pela Praça do Almada acima e chega aqui à beira do cruzeiro, tem aqui uma cruz. E que vê o meu avô? Uma abantesma na frente dele. O que é uma abantesma? O que eles explicavam que era uma abantesma? Diz que era um vulto muito alto, com as vestes tipo um padre. Mas muito alto. E quanto mais eles olhavam, mais crescia. E o meu avô… Aquilo havia uma táctica: aquilo crescia, crescia, diz que fazia um arco. E eles pegavam num tamanco e atiravam. Se o tamanco passasse, eles podiam passar por baixo do arco, não fazia mal nenhum. Se o tamanco viesse para trás, não podiam ir. E o meu avô que fez? Mandou o tamanco. O tamanco voltou para trás, bateu-lhe no peito:

    - Não vou, estou perdido.

    Mas que fez ele? Subiu pela cruz acima e amarrou-se à cruz em cima e deixou-se ficar. Cheio de medo: faz uma pequena ideia! Quando veio as pessoas para ir para a missa primeira, – que era para a matriz, que era, como é? A capela mãe, a igreja mãe, que era a igreja matriz – olharam para cima, viram o meu avô amarrado ali!

    - Ai, está ali um homem, está ali um homem, está ali um homem! Quem é?

    - Ai, é o Tio Mocetão! -o meu avô tinha o apelido de Mocetão. - Ai, o Tio Mocetão! Ó Tio Mocetão! -já o meu avô devia ter bastante idade. - Desça! -Mas ainda subiu a cruz, subiu a cruz com medo!

    E então depois o meu avô que esteve a contar o que viu e que se assustou e que ele que esteve ali bastante tempo, de volta dele. Mas também, de volta dele, que não se chegou à beira: sempre de volta, sempre de volta, sempre de volta. E o meu avô que dizia assim:

    - Vai-te embora, o que é tu queres de mim? Vai-te embora, deixa-me em paz! Vai assim, vai assado, vai-te embora!

    E isso foi passado com o meu avô. O meu pai é que nos contava essa história.

     

     


    [1] Fantasma, espectro.

     

Caracterização
Identificação
  • A abantesma e o homem
  • Ti Desterra
  • Actividade piscatória - comércio
Contexto de produção
  • Comunidade piscatória
Contexto territorial
  • Póvoa de Varzim, Museu Municipal de Etnografia e História da Póvoa de Varzim.
Contexto temporal
Manifestações associadas
  • Transmitidas aos serões, em quotidianos de trabalho e lazer.
Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Actividades promovidas pelo Município da Póvoa de Varzim, Biblioteca Municipal e Museu Municipal de Etnografia e História da Póvoa de Varzim.

    Comunidade piscatória  da Póvoa de Varzim

Equipa responsável
  • José Barbieri
  • José Barbieri
  • Ana Sofia Paiva
Arquivo
  • só online
  • só online

DESCARREGAR O LIVRO

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA