Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

Acessórios de moda em cortiça

Designação: Artipel - Fabrico de produtos em pele e cortiça
Freguesia: Terrugem
Concelho: Elvas
Distrito: Portalegre
Data de recolha:
03-2013
 

Dados de inventário
  • Artipel - Fabrico de produtos em pele e cortiça
  • Artipel - Fabrico de produtos em pele e cortiça

    A Artipel é uma empresa com 22 anos de existência, de origem familiar (família Magarreiro), localizada em Terrugem que se dedica à confeção de produtos em pele e cortiça com base em processos tradicionais.

    Registo: Terrugem, concelho de Elvas, 2013.

Caracterização
  • A preparação e confeção de peles é uma das tradições da região de Elvas, mais particularmente de Terrugem. Algumas famílias estão ligadas a este setor de atividade há várias gerações, como é o caso da família Magarreiro, que ainda se mantém em atividade com mais do que uma unidade de produção.

    A Garrici/Artipel é uma dessas unidades, tem 22 anos de existência e começou tendo por único funcionário o seu dono - Gaspar Joaquim Magarreiro – que iniciou a sua própria atividade a partir dos saberes aprendidos nas fábricas dos tios que também trabalhavam a pele. Pouco tempo depois, a esposa também começou a colaborar e passados 6 meses após o início da atividade já contava com mais 2 funcionários.

    Começaram com o trabalho artesanal, fabricando porta-moedas de pele de borrego sem pelo (a maior tradição de Elvas é a confeção de produtos de pele com pelo), assim como malas, cintos, carteiras e outros pequenos acessórios. Utilizavam uma máquina de costura e pequenas ferramentas. Com o passar do tempo foram modernizando a fábrica com maquinaria, deixando o processo de ser inteiramente artesanal. Há cerca de 7 anos iniciaram os trabalhos com cortiça, aplicando os mesmos procedimentos e técnicas que já conheciam do trabalho com a pele.

    Todos os funcionários entraram na fábrica quando eram muito jovens pelo que neste momento, embora sejam todos ainda jovens, já contam com muitos anos de experiência nos seus ofícios, e por isso, muito qualificados. A formação tem sido sempre interna pois não existem escolas ou centros de formação na área.

    Geralmente lançam uma nova coleção de cerca de 600 peças por ano, embora este ano (2013) sejam duas coleções, uma delas totalmente ecológica, utilizando apenas cortiça em todas as peças.

    Atualmente a empresa encontra-se em expansão para o mercado externo, consequência das vindas de estrangeiros a Portugal que conheceram os seus produtos e que foram estabelecendo contatos para que estes fossem vendidos em vários países do mundo. A empresa pensa investir, ainda este ano, no planeamento das exportações.

     

    Ler mais – ver texto completo no Documento PDF abaixo

  • A Garrici/Artipel é uma empresa, de origem familiar, de confeção de produtos em pele e cortiça, que já tem 22 anos de existência. Começou tendo por único funcionário o seu dono - Gaspar Joaquim Magarreiro  – que iniciou a sua própria atividade a partir dos saberes aprendidos nas fábricas dos tios que também trabalhavam a pele. Pouco tempo depois, a esposa também começou a colaborar e passados 6 meses após o inicio da atividade já contava com mais 2 funcionários.

    Começaram com o trabalho artesanal, fabricando porta-moedas de pele de borrego sem pelo (a maior tradição de Elvas é a confeção de produtos de pele com pelo), assim como malas, cintos, carteiras e outros pequenos acessórios. Utilizavam uma máquina de costura e pequenas ferramentas. Com o passar do tempo foram modernizando a fábrica com maquinaria, deixando o processo de ser inteiramente artesanal. Há cerca de 7 anos iniciaram os trabalhos com cortiça, aplicando os mesmos procedimentos e técnicas que já conheciam do trabalho com a pele.

Identificação
  • Domínio
    • Competências em processos e técnicas tradicionais
  • Artipel - Fabrico de produtos em pele e cortiça
  • Artipel- Garrici; Gaspar Magarreiro
  • Não se aplica
  • Não se aplica
Contexto de produção
  • Artipel- Garrici; Gaspar Magarreiro
  • 1991
Contexto territorial
  • Terrugem
Contexto temporal
  • Funcionamento semanal
Manifestações associadas
  • Curtimento de peles - Terrugem (Família Magarreiro)

  • Máquinas utilizadas

    Moldes de aço (moldes das peças a cortar)

    Balancetes de corte (máquina de corte)

    Máquinas de faciar (retira um pouco da espessura da cortiça para que depois as peças possam ser coladas)

    Máquinas de igualizar (deixa a pele toda na mesma espessura)

    Máquinas de costura (costura as diferentes peças)

    Máquinas de gravação e estampagem (grava ou estampa logotipos, desenhos, imagens, etc.)

     

     

    Matérias-Primas

    Cortiçaem rolo (várias texturas, cores, desenhos) – muitas vezes vindos de Espanha e Itália.

    Peles de borrego – portuguesas, transformadas em Alcanena.

     

    Produtos fabricados

    Malas, sapatos, cintos, carteiras, porta-moedas, porta-chaves, vestuário bijuteria, etc.

  • Não se aplica

Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Família Magarreiro (Gaspar Magarreiro)

Direitos Associados
  • No caso de produção de peças originais, de autor - Artipel - Gaspar Magarreiro

  • Artipel - Gaspar Magarreiro

Acções de Salvaguarda
  • A empresa tem 22 anos (em 2013) e encontra-se em fase de expansão. Gaspar Magarreiro não considera que haja risco ou ameaças que possam colocar, no imediato, a atividade em causa.

  • Formação interna; Trabalhadores qualificados; aumento das exportações.

Equipa responsável
  • Filomena Sousa
  • José Barbieri
  • Rosário Rosa e Filomena Sousa - Inventário
  • Realização José Barbieri.Produção Memória Imaterial e Câmara Municipal de Elvas - Isabel Pinto; Leonor Calado; Patrícia Machado, Romão Mimoso.
Arquivo
  • Não se aplica
  • 4/Elvas/Terrugem

 

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA