Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

Momentos Marcantes

  • José Samuel Gil Garção

  • Nascimento: 1955

  • Residência: Reside Freguesia da Sé

  • Actividade profissional: GNR

  • Função no GFCB: Cantata e tocata.

  • Entrevista: 2010/2/8_ Portalegre_Sede do GFCB

"Dos cantares passámos ao canto e ao toque. Apareceram as violas, apareceram os bandolins, apareceu o acordeão e, pronto, foi um outro festival para além do Festival de Folclore em que, inclusivamente, acho que há aí um dvd gravado em que, pronto, depois começámos a cantar ao desafio com cantigas espontâneas, daquelas feitas no momento como se faz no Alentejo, e que foi uma festa de grupos depois do festival de folclore. Esse é um momento.

Depois é aquela ida à Áustria com o grupo infantil, em que cada elemento adulto tinha ao seu cargo quatro crianças. Pronto e em que nós depois procurávamos ter aquela gente, aquela rapaziada jovem, sempre ocupada. E que eu pensei, pronto, em várias coisas. E como no local onde nós estávamos alojados havia um ginásio, todos os dias às sete da manhã, havia ginástica! Eu pensei: – não! Todos dias, de manhã, vou pôr a rapaziada bem-disposta! Todos os dias de manhã, às sete da manhã, obrigatoriamente estar no ginásio! – Até para os obrigar também a deixar-se dormir mais cedo, porque, se não fosse assim, eles iam para os quartos, mas dormir! Nem pensar nisso! Aliás alguns, daqueles já mais maduros, passavam as noites quase sem dormir! E, às vezes, apareciam às sete da manhã, com os olhos… Mas lá ia eu… Às vezes, um atrasava-se mas ia a correr porque já sabia que se não chegasse aquilo… Era complicado! Depois os resultados… Portanto, havia penalizações! E eles não queriam ser penalizados! Depois instituímos também (eu mais a orientadora, na altura, que era a Ana Matilde, que está agora, salvo erro, nos Açores, que era portanto, aliás, ela era a principal responsável pelo grupo) instituímos também a revista aos quartos! Então todos os dias, à noite, íamos revistar os quartos para ver se estava tudo arrumadinho e tudo em ordem. Portanto, são assim momentos marcantes, mas que são realmente muito giros porque todos eles, no fundo, aceitaram aquilo que bom grado. Portanto, lá havia um ou outro assim mais reguila e tal que, no primeiro dia, ofereceram um bocado de resistência, mas depois, no fundo, aceitaram aquilo e foi uma forma de, portanto, durante aqueles cinco dias em que nós lá estivemos, conseguir ter o grupo sempre unido e ter, pronto, eles sempre animados e sempre… Nós levámo-los, praticamente, a todos os locais e a todas as fórmulas de procedimento que nós quisemos."

 

 


 

Visite a nova exposição virtual!

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA

 

 

Entidades financiadoras do projecto Identidades Portalegre