Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

Romarias de Elvas

Designação: Romarias Rebolar o Vale e Passar Águas, Ajuda, Lapa e Barragem do Caia, Elvas
Freguesia: Ajuda, Barbacena, Santa Eulália
Concelho: Elvas
Distrito: Portalegre
Data de recolha:
03-2013 e 04-2013
 

 

Dados de inventário
  • Romarias Rebolar o Vale e Passar Águas, Ajuda, Lapa e Barragem do Caia - Elvas
  • ROMARIAS REBOLAR O VALE e PASSAR ÁGUAS, Ajuda, Lapa e Barragem do Caia, Elvas

    Ajuda 

    A Romaria da Ajuda acontece no fim-de-semana da Páscoa, sobretudo no Domingo, no campo perto do rio Guadiana. Trata-se de uma festa de convívio em que as famílias se dirigem ao campo para a comemoração da Páscoa.

    Lapa

    As celebrações da Páscoa em Barbacena integram a Romaria da Lapa da qual faz parte também a Procissão da Nossa Senhora da Lapa.

    A Romaria vive do espírito de confraternização entre as famílias que se dirigem para o campo para comer, beber,conversar, jogar.

    Barragem do Caia - Santa Eulália

    A Romaria de ‘Passar as águas’ em Santa Eulália comemora a segunda feira de Pascoela, em que tradicionalmente as pessoas vão passar o dia no campo.

    O nome de ‘Passar as águas’ tem a sua origem na passagem de uma ribeira que as pessoas teriam que fazer para irem para o outro lado dos campos, na época em que a maioria da população trabalhava na agricultura.

     

    Registo: Ajuda, Lapa e Barragem do Caia, concelho de Elvas, 2013.

Caracterização
  • Romaria da Ajuda

    A Romaria da Ajuda acontece no fim-de-semana da Páscoa, sobretudo no Domingo, no campo perto do rio Guadiana.

    Trata-se de uma festa de convívio entre famílias, em que as pessoas se juntam para comer, conversar, jogar, brincar, cantar ou pescar. Normalmente apanham espargos selvagens que abundam na zona, cozinham-nos, fazendo parte da tradição gastronómica da época, tal como o borrego (assado ou em ensopado) ou o porco. Atualmente, muitas famílias pernoitam no campo, em tendas ou em roulottes.

    Antigamente havia missa na igreja da Nossa Senhora da Ajuda, mas atualmente esta já não se realiza.

    O nome ‘Rebolar do Vale’, segundo alguns testemunhos, está associado ao convívio que na segunda-feira de Páscoa se realizava em torno de uma refeição no campo que contava sempre com o folar de Páscoa. Outras versões afirmam que antigamente as pessoas rebolavam mesmo pelo vale.

     

    Romaria da Lapa - Barbacena

    As celebrações da Páscoa em Barbacena integram a Romaria da Lapa da qual faz parte também a Procissão da Nossa Senhora da Lapa.

    Também esta Romaria está associada ao nome de ‘Rebolar o Vale’. Também aqui existem justificações diferentes para esta denominação, de novo a versão que afirma que antigamente as pessoas rebolavam mesmo no vale. Outras  falam de forma mais simbólica, associando o nome aos bolos da Páscoa que se faziam antigamente: os lagartos, os folares que tinham um ovo no centro.

    A festa sempre se realizou, mas oscilou entre períodos de maior secularização e outros de maior religiosidade. Foi depois do 25 de Abril de 1974 o Padre Francisco Bento e os Padre Nabais voltaram a cristianizar a festa.

    A essência da festa é o convívio das famílias e realiza-se em terrenos privados, que foram de Isabel Espirito Santo (devota da Nossa Senhora da Lapa). Depois de 1974 as terras foram-lhe confiscadas, mas ficou com o monte onde se realiza, agora, a festa. Mais tarde, os filhos venderam o monte a espanhóis, mas estes respeitam a tradição e continuam a ceder o terreno à população para a realização da festa.

     

    Ler mais – ver texto completo no Documento PDF abaixo

  • Não se consegue datar a origem destas romarias, mas sabe-se que estariam relacionadas com os tempos em que a maioria da população, sobretudo a masculina, trabalhava na agricultura, nos campos, e a restante família seguia com os farnéis ao seu encontro para as comemorações da época festiva (Pascoela).

    (em construção)

Identificação
  • Romarias Rebolar o Vale e Passar Águas, Ajuda, Lapa (N.Senhora da Lapa) e Barragem do Caia, Elvas
  • Romeiros; Juntas de Freguesias de Barbacena, Santa Eulália e Ajuda e Associações locais.
  • Não se aplica
  • Não se aplica
Contexto de produção
  • Romeiros; Juntas de Freguesias de Barbacena, Santa Eulália e Ajuda e Associações locais.
Contexto territorial
  • Barbacena, Santa Eulália e Ajuda
Contexto temporal
  • Anual, Páscoa
Manifestações associadas
  • As Romarias realizam-se durante Páscoa, no início da Primavera.

    Existem também outras romarias semelhantes no concelho de Elvas e noutros concelhos do Alentejo.

  • Andor de Nossa Senhora da Lapa (no caso da Romaria da Lapa)

  • Terrenos onde se realizam as romarias (propriedade privada)

Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Romeiros; Residentes da Ajuda, Barbacena e Santa Eulália; Juntas de Freguesias de Barbacena, Santa Eulália e Ajuda e Associações locais (por exemplo, na Lapa, a Associação Clube de Futebol Frente Leste).

Direitos Associados
  • Os direitos coletivos são de tipo consuetudinário.

    Terrenos onde são realizadas as Romarias: propriedades agrícolas privadas que são cedidas durante o período das Romarias.

  • Os direitos coletivos são de tipo consuetudinário.

    Proprietários agrícolas (terrenos onde se realizam as romarias).

Acções de Salvaguarda
  • As Romarias tem mantido a sua forma tradicional ao longo dos anos e várias gerações estão envolvidas na organização da mesma. A comunidade não considera a prática em risco ou ameaçada. A transmissão geracional dos conhecimentos e práticas encontra-se atualmente assegurada pelos Romeiros; Residentes da Ajuda, Barbacena e Santa Eulália; Juntas de Freguesias de Barbacena, Santa Eulália e Ajuda e Associações locais (por exemplo, na Lapa, a Associação Clube de Futebol Frente Leste).

  • A preparação antecipada das Romarias permite preparar as condições de acesso e estadia dos romeiros.

Equipa responsável
  • Filomena Sousa
  • José Barbieri
  • Rosário Rosa e Filomena Sousa - Inventário
  • Realização Filomena Sousa, Produção Memória Imaterial e Câmara Municipal de Elvas - Isabel Pinto; Leonor Calado; Patrícia Machado, Romão Mimoso.
Arquivo
  • não se aplica
  • 4/Elvas/Ajuda e 4/Elvas/Santa Eulália

 

DESCARREGAR O LIVRO

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA