Fundo Michel Giacometti
A serra
31/488

Sou tísica de nascença,

Só pão de rolão me dão,

Por falta de cozimenta

Deito o que roio no chão.

 

Vivo muito oprimida

P’r’assim poder trabalhare,

Quando começo a comere,

Começo logo a roncare.

Ai daquele que de mim se serve

P’ra conseguir o seu fim,

Sem eu ter nada de santa,

S’ajoelham  ao pé de mim!

 

Explicação:

- Sabe o que isto é? A serra.

“Sou tísica de nascença” porque é uma coisa muito delgadinha e “só de pão de rolão me dão” qu’é o madêro….o madêro…recebem tantos. E “Por falta de cozimenta”…só le dava era madêra a roer. Falta de cozimenta, deitava o que roía no chão. Depois, “Vivia muito oprimida” que era apertada ali…Depois, “Começava a comer, começava logo a roncar” […]Depois dizia então: “Ai daquele que de mim se serve p’ra conseguir o seu fim” – p´ra ganhar dinheiro – “Sem eu ter nada de santa” andavam de joelhos atrás dela. Ah, andavam lá atrás dela de joelhos.

Adivinhas de resposta irónica e/ou sarcástica
Serra
Contexto territorial
Paio Mendes
Ferreira do Zêzere
Sem informação
Identificação
Nascimento (cantou)/ Lopes (acompanhou à viola)
Sem informação
Sem informação
7
Sem informação
Sem informação
Equipa
Michel Giacometti/José Manuel Soares/ Isabelle Cremers
1975-07
Cassete 32-A