Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

Burro despertador

nome:
José Manuel
ano nascimento:
1920
freguesia: Brotas
concelho:
Mora                                          
distrito:
Évora
data de recolha: 2007
 
 

Dados de inventário
  • O burro despertador
  • Mora

    "O burro despertador" - Um burro bem mandado determina o horário do dia de trabalho. Um homem vai tratar de acertar o “despertador” para um horário mais justo para os trabalhadores.

    José Manuel ; Brotas; Concelho de Mora, Évora

    Registo 2007.

Transcrição
  • O burro despertador

     

    «Um homenzito andava de monte em monte a pedir trabalho. Num monte, aqui ao lado, disseram-lhe:

    – Eh! Não tenho trabalho!

    Até que chegou lá a um monte e disse:

    – Ó senhor, atão não tem p'aí trabalho pa' me dar?

    Patrão – Olhe, até, por acaso, tenho! Vamos lá a combinar. Olhe, dou de comer e dorme aqui na cocheira aonde tenho o burro. Mas olhe que aí há uma coisa... É que eu cá na' tenho relógio: o relógio é o me' burro. Quando ele zurra é para ir pegar ao trabalho, ó'póis ele, quando for à hora do comer, zurra e vem comer. O relógio é o burro.

    Trabalhador – Bom, 'tá bem.

    O gajo ficou... E disse ele:

    – Ora esta! O relógio?! O burro é que é o relógio?! Há-de ser boa!

    Bom, no outro dia, quando foi às oito horas (para irem pegar a trabalhar) o burro zurrou: ham! ham! ham!

    Trabalhador – É pá! 'Tá me'mo certo! Ah, burro d'um filha da puta! Atão o burro 'tá me'mo certo!

    Bom, lá andou trabalhando. Quando eram horas de comer o burro zurrava. Vinham comer e tal.

    No outro dia de manhã, quando foi às sete horas o burro: ham! Ham! Ham!

    Trabalhador – É pá! Burro d'um filha da puta, já adiantou uma hora hoje! Bom, atão, mas vou começar a trabalhar. O burro já zurrou...Oh!

    Lá andaram trabalhando. Quando eram horas de comer o burro zurrava – vinham. Tudo muito bem.

    No outro dia, quando foi às seis horas, o burro: ham! Ham! Ham!

    Trabalhador – É burro daquele cabrão! Atão o burro já adiantou duas horas! 'Tamos marimbados co burro!

    Bom, no outro dia, disse:

    Trabalhador – Bom, hoje vou trabalhar. Arranjo lá um xipó, um cacete, trago-o aqui para o pé da cama. Quando ele zurrar, caio-me com ele. Deixei cá de ser o bonito.

    Bom, no outro dia, quando foi às cinco horas o burro: ham! Ham!

    Trabalhador – Ai é?! Já adiantaste três horas! Atão, espera lá!

    Puxa do cacete, começa a medir no burro... P'as orelhas, era pra cabeça, era por onde quer que o apanhava! E taruz! O burro era já coice, peido que até dava, já todo maluco ali dentro!

    O patrão 'tava lá deitado – os patrões nesse tempo dormiam todos nos montes – ouve aquele banzé lá pò coiso e chega à porta. Abriu a porta, andava o gajo: taruz! Taruz!

    Patrão – É pá! O que é que você anda a fazer?!

    Trabalhador – Ó patrão! Ando a acertar o relógio que isto 'tá tudo descontrolado!

     

    José Manuel, 87 anos, Brotas, (conc. Mora), Junho 2007.

     

     

Caracterização
    • Classificado segundo o sistema internacional de Aarne-Thompson:Cf. ATU 1003 (var.) Lavrando a Terra.

     

    • Classificação: Paulo Correia (CEAO/ Universidade do Algarve) em Julho de 2007.
Identificação
  • O burro despertador
  • José Manuel
  • 1920
Contexto de produção
Contexto territorial
  • Mora, Casa da Cultura de Mora
Contexto temporal
  • Hoje sem periodicidade certa. Encontros informais e iniciativas do Município de Mora e escolas
Manifestações associadas
  • Transmitidas aos serões, em quotidianos de trabalho e lazer.
Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Contadores de histórias participam em iniciativas do Município de Mora. São convidados para participar na inicativa Palavras Andarilhas. Vão a escolas, lares e bibliotecas. Participam em iniciativas do Fluviário de Mora e da Casa da Cultura. Destacam-se as seguintes actividades desenvolvidas desde 1999:

    - Encontro de Contadores e Histórias - 1999 a 2005

    - Ti Tóda - Conta-me eum conto, estafeta de contos - 2001 a 2004

    - As lendas vão à escola - 2005

    - O Talego Culto - 2007

    - O Talego ambiental - 2007 a 2008

    - Comunidade do Canto do Lume

Equipa responsável
  • José Barbieri
  • José Barbieri
  • Maria de Lurdes Sousa

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA