Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

Forasteiro meu amigo

nome:

Lídia Vaz

ano nascimento:

26/06/1932

freguesia: Grândola
concelho:
Grândola
distrito:
Setúbal
data de recolha: Fevereiro 2007
 

Dados de inventário
  • Forasteiro meu amigo
  • Poetas Populares de Grândola - Vídeo Poesia Popular.

    “Forasteiro meu amigo”- Homenagem à beleza da paisagem da zona da Serra de Grândola.

    Lídia Vaz; Ano de nascimento: 1932; Concelho de Grândola.

    Registo 2007.

Transcrição
  • Forasteiro, meu amigo

    «Forasteiro, meu amigo,

    vem que eu subo contigo

    até ao cimo da serra.

    Então dirás sorridente

    como é surpreendente

    a beleza desta terra.

     

    Aqui o vasto montado(1).

    Mais além, um velho prado(2)

    onde pasta o gado manso.

    A charneca(3) florida,

    encantos da minha vida,

    onde há sossego e descanso.

     

    Tem gado que dá o leite.

    Dá vinho, mel e azeite.

    Aqui minha alma anda,

    não quero sair daqui.

    Fico sempre junto a ti,

    ó minha Serra de Grândola(4).

     

    Quando é a Festa da Penha(5)

    não há ninguém que não venha

    em romaria(6), afinal.

    Ouve-se uma voz, em baixinho,

    Deus te guarde, meu cantinho,

    Deus te salve Portugal.»

     

    Lídia Vaz, Grândola, Fevereiro de 2007

     

     

    Glossário:

    (1) Montado – terreno com azinheiras ou sobreiros no Alentejo (onde pastam os porcos).

    (2) Prado – terreno coberto de ervas que serve de pastagem.

    (3) Charneca – terreno inculto e árido com arbustos e vegetação rasteira (giestas, estevas, fetos, etc.) onde, geralmente, se criam carneiros.

    (4) Serra de Grândola – Situada no Alentejo, sub-região do Alentejo Litoral (distrito de Setúbal, concelhos de Alcácer do Sal, Grândola e Santiago do Cacém, a norte da serra do Cercal), tem altitude de 325 metros e a sua flora característica são sobreiros, urzes, medronheiros, aroeiras, pereiras e roseiras bravas, gilbardeiras e o carvalho-português junto às linhas de água.

    (5) Festa da Penha – festas religiosas em honra de Nossa Senhora da Penha, santa padroeira de Grândola, realizadas no fim de Maio de cada ano.

    (6) Romaria – Peregrinação religiosa, no caso, à capela da Penha.

    Na execução deste glossário consultaram-se os seguintes websites: http://www.infopedia.pt; http://www.priberam.pt; http://www.significadodepalavras.com.br; http://aulete.uol.com.br; http://bemfalar.com; http://pt.wikipedia.org; http://www.cm-grandola.pt; http://www.diocese beja.pt/site/index.php?name=News&file=article&sid=788

     

     

     

     

Caracterização
  • Quatro sextilhas.

    Classificação: Proposta por Paulo Correia (CEAO/ Universidade do Algarve) em Julho de 2007.

Identificação
  • Forasteiro meu amigo
  • Lídia Vaz
  • 1932
Contexto de produção
  • Comunidade - Poetas Populares de Grândola
Contexto territorial
  • Biblioteca Municipal de Grândola (contacto Cristina Bizarro).
Contexto temporal
  • Actualmente sem periodicidade certa. Encontros informais e iniciativas do Município de Grândola.
Manifestações associadas
  • A poesia alentejana de Grândola era dita em festas, feiras, locais de entretenimento e principalmente em tabernas.
Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Poetas populares em iniciativas esporádicas do Município de Grândola. Em Grândola, vários poetas populares participam na iniciativa Rota das Tabernas (16ª edição em 2010) realizada em Junho.

    Existem vários Encontros de Poetas Populares, nomeadamente em concelhos do Alentejo e do Algarve.

Equipa responsável
  • José Barbieri
  • José Barbieri
  • Maria de Lurdes Sousa
Arquivo
  • 2/33:00 - 34:25
  • 1/grandola2011/Grandola 2

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA