Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

A velhice assim chegou

nome:

Luís Ricardo

ano nascimento:

05/03/1923

freguesia: Grândola
concelho:
Grândola
distrito:
Setúbal
data de recolha: Fevereiro 2007
 

Dados de inventário
  • A velhice assim chegou
  • Poetas Populares de Grândola - Vídeo Poesia Popular.

    A velhice assim chegou”- As mudanças que o tempo provoca no corpo e os condicionamentos que este passa a ter.

    Luís Ricardo; Ano de nascimento: 1923; Concelho de Grândola.

    Registo 2007.

Transcrição
  • A velhice assim chegou

     

    «Ainda sou o mesmo que era.

    Aquilo que eu era é que já não sou.

    Porque os anos foram-se passando

    e a velhice assim chegou.

     

    Já nada me mete alegria.

    Tudo me faz aborrecer.

    Porque eu já não posso fazer

    certas coisas que eu fazia.

    Eu penso de noite e de dia

    no tempo da Primavera.

    O tempo vai e não espera.

    Toda a vida assim tem sido,

    mas no pensar e no sentido

    ainda sou o mesmo que era.

     

    Não posso já é fugir.

    Tenho que ir devagarinho.

    Mas com o tempo e jeitinho

    ainda vou onde queria ir.

    E já de nada me deixo cair,

    qualquer tendão que doe,

    prá onde tente lá vou

    com as mãos direito ao chão.

    Mas prá(1) aceifar(2) e atar o pão

    aquilo que eu era já não sou.

     

    Já vejo poucachinho(3)

    e não ouço aquase(4) nada.

    E tenho a cara enrusgada(5)

    e o cabelo já branquinho.

    Agora é que eu vi o caminho.

    E por ele vou andando.

    Eu nunca ‘tava(6) julgando

    chegar ao que eu cheguei,

    mas tantas voltas que dei

    e os anos foram-se passando.

     

    Sinto o corpo descaído.

    E a força enfraquecer.

    E tenho deficiência no ver

    e ‘ficuldades(7) no ouvido.

    Eu levava o caso a rir

    quando dizia o meu avô:

    desde qu’a(8) roda desandou…

    A partir daquela hora

    a mocidade foi-se embora.

    E a velhice assim chegou.»

     

    Luís Ricardo, Grândola, Fevereiro de 2007

    Glossário:

     

    (1) Prà – abreviatura oral de “para a”.

    (2) Aceifar – o mesmo que ceifar (cortar ou bater cereais com gadanha ou foice).

    (3) Poucachinho – muito pouco. Similar a poucochinho.

    (4) Aquase – quase.

    (5) Enrusgada – enrugada.

    (6) ‘Tava – abreviatura oral de “estava”.

    (7) ‘Ficuldades – abreviatura oral de “dificuldades”.

    (8) Qu’a – abreviatura oral de “que a”.

    Para a execução deste glossário consultaram-se as seguintes fontes: http://bemfalar.com; http://aulete.uol.com.br; http://www.priberam.pt/; http://www.infopedia.pt

     

     

     

     

Caracterização
  • Décimas.

    Quadra (mote) seguida de uma glosa em 4 décimas (em redondilha maior).

    Classificação: Proposta por Paulo Correia (CEAO/ Universidade do Algarve) em Julho de 2007.

Identificação
  • A velhice assim chegou
  • Luís Ricardo
  • 1923
Contexto de produção
  • Comunidade - Poetas Populares de Grândola
Contexto territorial
  • Biblioteca Municipal de Grândola (contacto Cristina Bizarro).
Contexto temporal
  • Actualmente sem periodicidade certa. Encontros informais e iniciativas do Município de Grândola.
Manifestações associadas
  • A poesia alentejana de Grândola era dita em festas, feiras, locais de entretenimento e principalmente em tabernas.
Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Poetas populares em iniciativas esporádicas do Município de Grândola. Em Grândola, vários poetas populares participam na iniciativa Rota das Tabernas (16ª edição em 2010) realizada em Junho.

    Existem vários Encontros de Poetas Populares, nomeadamente em concelhos do Alentejo e do Algarve.

Equipa responsável
  • José Barbieri
  • José Barbieri
  • Maria de Lurdes Sousa
Arquivo
  • 1/35:50 - 38:10
  • 1/grandola2011/Grandola 1

DESCARREGAR O LIVRO

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA