Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

A vassoura

nome:
Mariana Leitão
ano nascimento:
1946
freguesia: Zebreira
concelho:
Idanha-a-Nova                                             
distrito:
Castelo Branco
data de recolha: Setembro 2010
 
 

Dados de inventário
  • A vassoura
  • Idanha-a-Nova

    "A vassoura" - Uma criada entra na puberdade e pensa que está muito doente…

     

     

    Mariana Leitão, Ano de nascimento 1946.

    Idanha-a-Nova, Zebreira

    Registo 2010.

Transcrição
  • A vassoura

     

    «Era uma vez uma menina que *foi servir*(1). E era muito novinha!

    E quando começou a crescer, começou a ser mulher, começou-lhe a crescer-lhe os pelinhos da…vá! E ela, coitadinha, andava toda atrapalhada, porque ela pensava que aquilo que era uma grande doença que ela tinha.

     

    Chega à patroa, diz assim:

     

    Criada - Ai, minha senhora, eu quero-me ir embora!

     

    Patroa – Atão(2), porquê? Porquê que a menina se quer ir embora?

     

    Criada - Ai, minha senhora! Tenho aqui um mal…Nasceu-me aqui um mal… - Ela pensava que aquilo que era um grande mal!

     

    Ai, ela dizia:

     

    Criada - Nasceu-me aqui uma vassourinha… - Que lhe tinha nascido ali uma vassourinha!

     

    Ela disse:

     

    - Então, deixa-te estar Maria! Deixa-te estar. - A’pois(3) disse: - Queres ver? Eu também tenho Maria! Eu também tenho! – Ela mostrou-lhe.

     

    E quando chegou o patrão, diz assim:

     

    Patroa - Oh! Mas que a Maria quer-se ir embora, só porque tem ali isto, assim, assim… Diz que lhe nasceu lá uma vassourinha!

     

     

    E o patrão disse assim:

     

    - Ó Maria! Queres ver?! Eu também tenho! – A’pois o senhor mostrou-lhe.

     

    Disse:

     

    Criada - Ai, patrão! A sua é que é engraçadinha, a sua até tem cabo e tudo!

     

    A vassourinha até tinha cabo e tudo!

     

    Adepois(3) diz assim:

     

    Criada - Mas eu ainda me vou embora! Eu vou-me embora na mesma!

     

    Mesmo assim se quis ir embora.»

     

    Mariana Leitão, Zebreira, Idanha-a-Nova, Setembro de 2010

     

    Glossário:

    (1) Ir servir«Os trabalhadores assalariados ou servos adstritos a um patrão ou senhor que exerce a sua autoridade e os remunera, tinham remotamente ocupações diferenciadas:nas habilitações domésticas - Para trabalhos caseiros, com a designação que ainda hoje se mantém de criados ou serviçais. - São geralmente do sexo feminino, mulheres adestradas em preparar no lume os alimentos; ou em se entregarem aos arranjos domiciliários - as criadas-de-quarto ou criadas-de-fora. Havia também as amas-de-leite, que amamentavam as crianças alheias e as amas-secas, que tratavam de meninos de peito, nutridos estes com o leite materno.As antigas criadas portuguesas, zelosas, fiéis e afeiçoadas, que acompanhavam a vida doméstica em comum, servindo obedientemente várias gerações com nobre dedicação, a ponto de quase se integrarem nas famílias, são legado de um passado remoto que o decorrer dos anos extinguiu.» Felgueiras, Guilherme. (1981). Divagações Etnográficas. Amos, Criados e Moços de Servir. Revista Lusitana. Nova Série 1. Número 1. Instituto Nacional de Investigação Científica. P.91. PDF consultado em 17-12-2010, 13:45, disponível em:http://www.fl.ul.pt/unidades/centros/ctp/lusitana/rlus_ns/rlns01/rlns01_p91.pdf

    (2) Atão - “então”, regionalismo de Portugal, de uso informal e coloquial.

    (3) A’pois e Adepois – “a seguir”,“depois” (uso popular e coloquial).

    Na execução deste glossário consultaram-se: http://www.ciberduvidas.com;

    http://www.fl.ul.pt/unidades/centros/ctp/lusitana/rlus_ns/rlns01/rlns01_p91.pdf

    http://pinhel1970.blogspot.com/2009/02/73-criada-de-servir.html;

    http://www.infopedia.pt

     

     

     

     

     

     

Caracterização
Identificação
  • A vassoura
  • Mariana Leitão
  • 1946
Contexto de produção
Contexto territorial
  • Idanha-a-Nova, Biblioteca Municipal de Idanha-a-Nova
Contexto temporal
  • Hoje sem periodicidade certa. Encontros informais e iniciativas do Município de Idanha-a-Nova
Manifestações associadas
  • Transmitidas aos serões, em quotidianos de trabalho e lazer.
Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Residentes do concelho de Idanha-a-Nova em festas e romarias locais e em iniciativas do Município, Centro Cultural e Biblioteca de Idanha-a-Nova. Principais actividades desenvolvidas e que promovem estas manifestações culturais:

    Festas e Romarias

    Romaria da Nossa Senhora do Almortão

    Romaria de Nossa Senhora da Graça

    Festa do Divino Espírito Santo

    Os Mistérios da Páscoa

    Festa das Cruzes Monsanto

    Festa do Espírito Santo Ladoeiro

    Festa de Nossa Senhora da Conceição Penha Garcia

    Projectos

    Projecto Oralidades

    Festivais

    Festival de acordeonistas e tocadores de concertinas

     

    (Ver links em documentação)

Equipa responsável
  • José Barbieri e Filomena Sousa
  • José Barbieri
  • Filomena Sousa e glossário Maria de Lurdes Sousa
  • José Barbieri - realização do documentário (ver link em documentação)

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA