Memoria Imaterial CRL
Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - patrimónios, artes e culturas

M E M O R I A M E D I A

e-Museu do Património Cultural Imaterial

Ameixa de Elvas

Designação: Mário da Conceição, empresa familiar que produz Ameixa (Ameixa de Elvas) e outras frutas confitadas.
Freguesia: União das freguesias Assunção, Ajuda, Salvador e Santo Ildefonso
Concelho: Elvas
Distrito: Portalegre
Data de recolha:
2013

 

 

Dados de inventário
  • Mário da Conceição - Frutas Doces – Ameixa de Elvas
  • Mário da Conceição - Frutas Doces  – Ameixa de Elvas

    A preparação e confeção de ameixas secas e ameixas em calda é uma das tradições da região de Elvas. Algumas famílias estão ligadas a este setor de atividade há várias gerações.

    A Fábrica Frutas Doces foi fundada em 1919 por Manuel Joaquim Candeia pertencendo, desde 1970, a Mário da Conceição afilhado de Manuel Candeia e, desde de 1999, ao seu filho, Luís Silveirinha.

     

    Na fábrica a ameixa passa pela 1.ª cozedura: é fervida somente em água. Depois de devidamente fervida vai para dentro de uma calda de água com açúcar. A calda passa por dois pontos. Ao 2.º “ponto” a fruta fica pronta e pode ficar vários anos sem ser consumida porque o açúcar conserva a fruta.

    Registo: União das freguesias Assunção, Ajuda, Salvador e Santo Ildefonso, concelho de Elvas, 2013.

Caracterização
  • A preparação e confeção de ameixas doces secas e em calda é uma das tradições da região de Elvas. Algumas famílias estão ligadas a este setor de atividade há várias gerações, como é o caso da família de Luís Silveirinha.

    O processo começa em Junho/Julho quando é apanhada a ameixa Rainha Cláudia. Para este fim, a fruta, que é doce e tem uma certa acidez, deve ser apanhada ligeiramente verde, ainda dura, a iniciar o estado de maturação. Se for apanhada já madura, corre o risco de se desfazer na primeira cozedura.

    As ameixeiras de Rainha Cláudia desenvolvem-se em solos profundos e bem drenados e com boa exposição solar, existem alguns pomares em Elvas, mas, desde o início da produção industrial das ameixas doces, a maior parte da matéria-prima vem dos pomares de Estremoz.

    Assim que a fruta é apanhada é transportada para a fábrica. Conforme chega é pesada e, para manter a qualidade, tem de ser cozida no próprio dia, não se deve guardar a fruta de um dia para o outro.

     

    Ler mais – ver texto completo no Documento PDF abaixo

  • Sobre a Fábrica Mário da Conceição

     

    A Fábrica Frutas Doces foi fundada em 1919 por Manuel Joaquim Candeia e dedicava-se especialmente ao fabrico da ameixa seca e a preparação de azeitonas. Nos anos 60 teve a sua época áurea com o aumento de produção de “ameixa seca” e da exportação da ameixa coberta (coberta com creme glacé) para os Estados Unidos.

    Em 1970 foi comprada pelo encarregado dessa altura – Mário Renato da Conceição (pai de Luís Silveirinha), afilhado de Manuel Candeias. Também Catarina Conceição passa a dividir a responsabilidade e o trabalho do marido na Fábrica.

    A partir dessa data, devido a uma ideia partilhada e experimentada por Mário da Conceição e pelo então Diretor da Pousada de Elvas, promoveu-se a junção da ameixa em calda à sericaia e desde então a ameixa seca passa a ter um peso residual na produção, de quase 100% passa a 10%. A ameixa em calda passa a ser o produto de excelência da Fábrica. Também a ameixa coberta, devido a condições de higiene e investimentos mais exigentes, passa a ter uma produção residual e a exportação para os Estados Unidos é cancelada.

    Em 1999 a Fábrica passa para a o filho de Mário da Conceição, o atual proprietário, Luís Silveirinha.

    Atualmente, a Mário Conceição Frutas Doces, é a única Fábrica que está a laborar em Elvas segundo o processo artesanal e utilizando os utensílios tradicionais. A ameixa é vendida sobretudo para Lisboa e Porto.

    Para além das ameixas de Elvas fabricam alperces, pêssegos, figo branco, figo rei, ameixa comprida. Tudo através do mesmo processo artesanal/manual.

    Na altura da cozedura das ameixas (Junho/Julho), numa tarde, com 4 pessoas a trabalhar, cozem-se cerca de uma tonelada de ameixas na Fábrica Mário Conceição Frutas Doces.

     

    Sobre a ameixa seca, a ameixa em calda e coberta

    As receitas das ameixas secas e em calda provêm das práticas conventuais que da Idade Média. “A tradição remonta pelo menos o século XVI havendo documentos relatando que as monjas claristas (de St. Clara) e dominicanas (de S. Domingos) confecionavam ameixas doces e cobertas, muito apreciadas.” (Fonseca & Simões, 2001:183).

     

    Ler mais – ver texto completo no Documento PDF acima

Identificação
  • Domínio
    • Competências em processos e técnicas tradicionais
  • Mário da Conceição - Frutas Doces
  • Luís Silveirinha Conceição
  • 1957
  • Empresário
Contexto de produção
  • Mário da Conceição - Frutas Doces
  • 1919
Contexto territorial
  • Elvas
Contexto temporal
  • Funcionamento semanal
Manifestações associadas
  • Arte do Papel Recortado

    Sericaia

  • Utensílios utilizados

    Tachos de cobre

    Alguidares de plástico

    Alguidares de barro

    Escumadeira

    Tiradeira

    Escorredor

    Pegas

     

    Antigas caixas de cartão e papel recortado

  • Pomares de Ameixa Rainha Cláudia (propriedade privada)

Contexto de transmissão
  • Estado de transmissão
    • activa
  • Mário da Conceição - Frutas Doces

    Luís Silveirinha Conceição

Direitos Associados
  • Mário da Conceição - Frutas Doces

    Luís Silveirinha Conceição

  • Mário da Conceição - Frutas Doces

    Luís Silveirinha Conceição

Acções de Salvaguarda
  • Luís Silveirinha considera que a fábrica está numa fase de expansão e de diversificação dos produtos. O proprietário refere, contudo, que não tem descendentes interessados no fabrico dos frutos doces e receia que, daqui a alguns anos, a fábrica corra o risco de fechar.

  • Investimentos na Fábrica e na manutenção da qualidade do produto. Diversificação dos produtos.

Equipa responsável
  • Filomena Sousa
  • José Barbieri
  • Filomena Sousa - Inventário
  • Realização Filomena Sousa.Produção Memória Imaterial e Câmara Municipal de Elvas - Isabel Pinto; Leonor Calado; Patrícia Machado, Romão Mimoso.
Arquivo
  • Não se aplica
  • 4/Elvas/Terrugem

DESCARREGAR O LIVRO

PCI Livro

PATRIMÓNIO CULTURAL IMATERIAL
MEMORIAMEDIA e-Museu - métodos, técnicas e práticas

+ MEMORIAMEDIA